Arsenal paga €80 milhões por atacante Nicolas Pépé

Os Gunners desembolsaram o valor pelo marfinense autor de 22 gols e 11 assistências na última temporada

Pépé foi destaque do LillePépé foi destaque do Lille - Foto: FRANCOIS LO PRESTI / AFP

O atacante marfinense Nicolas Pépé (24 anos), há dois anos no Lille, se comprometeu a assinar um contrato com o Arsenal, segundo os dois clubes, que oficializaram nesta quinta-feira a transferência por uma valor recorde para os Gunners.

Segundo fontes próximas à negociação, o Arsenal desembolsou 80 milhões de euros para trazer o atacante, autor de 22 gols e 11 assistências na última temporada do Campeonato Francês com o Lille.

O Arsenal citou uma "transferência recorde" para o clube para trazer Pépé, vice-artilheiro da França na temporada passada, atrás de Kylian Mbappé.

O marfinense se tornou o jogador africano mais caro da história, superando o guineano Naby Keita, que custou 70 milhões de euros ao Liverpool para tirá-lo do Leipzig alemão em 2018.

Uma enorme pressão nos ombros de um jogador que não brilhou com a Costa do Marfim na recém-terminada Copa Africana de Nações.

Leia também:
CBF confirmará Brasil como candidato a sede da Copa feminina de 2023
Chelsea frustra estreia de Griezmann e bate Barcelona
Luis Suárez se reapresenta e treina no Barcelona


Apresentado como a grande estrela dos Elefantes, Pépé deixou a competição nas quartas de final eliminado pela Argélia (1x1, 4x3 nos pênaltis) sem marcar gol. Para o Lille, que antecipou a saída de Pépé se reforçando com o americano Timothy Weah e o nigeriano Victor Osimhen, a venda de 80 milhões de euros também é um recorde.

O clube do norte da França havia comprado o jogador marfinense por 10 milhões de euros pagos ao Angers em 2017.Nesta quinta-feira, o Lille também anunciou a venda do atacante português Rafael Leão ao Milan por 35 milhões de euros.

Veja também

Empresário confirma proposta do Goiás por Barcia
Sport

Empresário confirma proposta do Goiás por Barcia

Pandemia adia Corrida de São Silvestre para julho do ano que vem
Maratona

Pandemia adia Corrida de São Silvestre para julho do ano que vem