Ataque leonino sofre queda de números no Estadual 2018

Nas sete primeiras rodadas, time marcou apenas sete gols. Em 2014 e 2015 o Leão anotou o dobro de tentos

Leandro Pereira Leandro Pereira  - Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Um dos maiores calos do Sport nos últimos dois anos, a defesa do Sport vem conseguindo mostrar uma leve evolução. Figurando entres os mais vazados dos últimos Brasileirões, a zaga leonina tomou apenas quatro gols neste Campeonato Pernambucano, sendo três em apenas um jogo, contra o Náutico. O outro tento foi tomado no empate em 1x1, contra o Central. Ou seja, dos sete jogos que fez até agora na competição, o time passou cinco sem saber o que é tomar gol. Porém, o que vem preocupando agora os rubro-negros é o setor ofensivo.

Fiel da balança nos últimos Brasileirões, quando conseguia compensar a quantidade de gols sofridos com o alto poderio ofensivo, o Sport marcou apenas sete gols no Estadual em sete jogos e tendo tido apenas um clássico, contra o Náutico. Uma média de um gol por jogo, encarando adversários mais frágeis do que no Brasileirão da Série A, por exemplo. Até agora, nenhuma goleada aplicada no certame.

Nos anos anteriores, a situação era mais confortável no ataque rubro-negro. Em 2015, por exemplo, foram 14 gols anotados nos mesmos sete primeiros jogos disputados, o dobro da média atual. Isso tendo tido dois clássicos logo nas duas primeiras rodadas, batendo o Santa Cruz por 3x0, na estreia, e o Náutico por 1x0, logo em seguida. Em 2014, mesmo aproveitamento, com 14 gols nos sete primeiros jogos do Estadual.

Em 2016, a situação começou a dar sinais de decadência. No mesmo período de jogos, 11 gols anotados. Isso por conta de uma goleada de 4x0 contra o Central, na sétima rodada. Já no ano passado, os números despencaram. Nas sete primeiras rodadas do Pernambucano, apenas oito tentos assinalados.

Atualmente, apenas com Leandro Pereira como opção para a referência no ataque e poucas opções na armação de jogadas, o treinador Nelsinho Baptista vem quebrando a cabeça para conseguir uma evolução ofensiva, porém, sem obter muito sucesso. Peças como Gabriel, Rogério e Thomás não conseguiram fazer uma apresentação convincente. E até mesmo Marlone, maior contratação para esta temporada, ainda não convenceu. Isso sem contar com André, que fez apenas quatro jogos até agora, mas quer deixar a Ilha do Retiro por uma proposta feita pelo Grêmio.

Veja também

Com classificação encaminhada, Martelotte garante seriedade: "Não vamos relaxar nem desconcentrar"
Santa Cruz

Com classificação encaminhada, Martelotte garante seriedade: "Não vamos relaxar nem desconcentrar"

Santa Cruz vence Botafogo/PB por 1 a 0 e alcança marca histórica de 27 pontos na competição
Série C

Santa Cruz vence Botafogo/PB por 1 a 0 e alcança marca histórica