Athletico/PR e Inter duelam na final da Copa do Brasil

Furacão venceu o jogo de ida por 1x0, na Arena da Baixada, e precisa apenas de um empate para ser campeão

Lances de Athletico x InterLances de Athletico x Inter - Foto: Divulgação/Internacional

Entrar para a história com um título da Copa do Brasil já é motivo suficiente para Athletico/PR e Internacional jogarem com força máxima nesta noite, às 21h30, no Beira-Rio, pela partida de volta da decisão - na ida, o Furacão ganhou por 1x0, na Arena da Baixada. Imagine então citar que a competição oferece outros benefícios como vaga na Libertadores, Supercopa 2020, premiação de R$ 52 milhões e, para os atletas, maior valorização e visibilidade no mercado. Atrativos de uma decisão que vale muito para gaúchos e paranaenses.

Para faturar seu segundo título da Copa do Brasil na história - o primeiro foi em 1992 -, o Internacional precisa vencer por dois gols de diferença. Um triunfo simples levará a decisão para as penalidades. Uma das esperanças do Colorado reside no bom aproveitamento (79,4%) do time em casa, com 19 vitórias, cinco empates e somente duas derrotas. Dos triunfos, 11 foram por dois ou mais gols de vantagem.

Além da força do Beira-Rio, o Internacional deposita suas fichas no peruano Paolo Guerrero, artilheiro da Copa do Brasil, com cinco gols, ao lado de Pipico (Santa Cruz) e Luciano (Grêmio). O centroavante do time gaúcho já marcou 13 vezes no ano, sendo 11 no palco da decisão de hoje. Há 27 anos, quando conquistou o mata-mata nacional, o Inter também teve o goleador da competição, Gérson, com nove bolas na rede.

Diante de um Internacional que deve sair ao ataque desde o primeiro minuto, o Athletico aposta nos contra-ataques para faturar seu primeiro título da Copa do Brasil. Além dos atacantes Rony e Marco Ruben, quem também pode decidir para o Furacão é o meia Bruno Guimarães, de 21 anos, já especulado em gigantes europeus como Real Madrid e Chelsea. Foi dele o gol na partida de ida. A força da base do Athletico, por sinal, não se resume a Bruno. Os paranaenses possuem 13 jogadores formados no CT do Caju ou com passagens pelo time aspirante, entre eles o goleiro Santos e o lateral-direito Khellven.

Leia também:
“Joguei no Náutico e sei da força deles” , diz Eltinho
CR7, PSG e Real Madrid em campo pela Liga dos Campeões

Veja também

Encontro de gerações no Clássico dos Clássicos
Futebol

Encontro de gerações no Clássico dos Clássicos

No Santa Cruz, zagueiro Hebert inicia primeira passagem pelo futebol brasileiro
Santa Cruz

No Santa Cruz, zagueiro Hebert inicia primeira passagem pelo futebol brasileiro