Autoridades discutem combate à violência entre torcidas

Membros do Ministério Público de Pernambuco e o secretário de Defesa Social se reuniram para debater assunto

Antônio de Pádua, da SDS, e Francisco Dirceu Barros, do MPPEAntônio de Pádua, da SDS, e Francisco Dirceu Barros, do MPPE - Foto: Priscilla Buhr/AMCS

Autoridades do Ministério Público de Pernambuco e o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, reuniram-se nesta terça-feira com o objetivo de discutir ações em prol do enfrentamento à violência nos estádios e aos confrontos entre torcidas organizadas. No encontro, que antecede o Clássico dos Clássicos pela Copa do Nordeste, programado para este sábado, o procurador-geral de Justiça do Estado, Francisco Dirceu Barros, reforçou o compromisso de tomar providências legais cabíveis no sentido de coibir a atuação dos vândalos.

“Há um consenso de que as torcidas organizadas, em Pernambuco, são uma tragédia pré-anunciada. Resta-nos responder uma pergunta: nós vamos tomar providências quando houver uma tragédia ou podemos agir por prevenção? O problema é complexo e a solução envolve atitudes de várias instituições", disse o procurador-geral de Justiça de Pernambuco.

Leia também:
Violência entre torcidas volta à rotina
Novo episódio de violência acontece entre torcedores no Recife

Para o secretário da SDS, Antônio de Pádua, a atuação conjunta viabilizará o combate à violência dentro e fora dos Estádios. “A parceria com o MPPE garantirá mais efetividade. O próprio Estatuto do Torcedor, por exemplo, determina que a prevenção da violência nos esportes compete não apenas ao poder público, mas também a confederações, federações, ligas, clubes, associações ou entidades esportivas, entidades recreativas e associações de torcedores, inclusive de seus respectivos dirigentes, bem como daqueles que, de qualquer forma, promovem, organizam, coordenam ou participam dos eventos esportivos”, enfatizou ele.

O promotor de Justiça que atua Promotoria de Justiça especializada do torcedor, José Bispo de Melo, disse que intensificará, ainda, esforços do MPPE no sentido de viabilizar ações concretas no combate. “Há um clamor social na extinção das torcidas organizadas. Precisamos fazer um trabalho em que o torcedor possa levar sua família ao estádio sem qualquer perigo maior de violência. A segurança pública tem atuado e tem demonstrado interesse combater as situações de violência desencadeadas pela atuação das torcidas, trazendo mais tranquilidade ao cidadão”, afirmou ele.

Ainda segundo ele, o MPPE elaborará um estudo para viabilizar soluções ao assunto. “O MPPE fará um estudo dentro do Estatuto do Torcedor, em conformidade com o que seja possível dentro da Lei, para que, no maior prazo possível, seja possível extinguir as torcidas organizadas, notadamente as maiores delas”, disse ele.

O encontro entre MPPE e SDS acontece uma semana depois da confusão provocada por uma torcida organizada do Sport, no bairro da Boa Vista, durante celebração de tricolores pelos 106 anos do Santa Cruz. Na ocasião, "dois dos agressores ficaram machucados e acabaram detidos, mas foram liberados porque ninguém quis representar contra eles", informou a polícia. A briga provocou tumulto e assustou moradores da região.

Veja também

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada
Handebol

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno
Sport

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno