Baixo efetivo da PM em jogo provoca reunião entre FPF e Governo

Presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, ratificou que não há perigo de o Náutico ter de jogar fora do estado por conta de falta de policiamento da PM

Náutico x Juventude, pela semifinal da Série C, nos AflitosNáutico x Juventude, pela semifinal da Série C, nos Aflitos - Foto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

No início da tarde desta segunda (23), o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, se reuniu com a vice-governadora do estado, Luciano Santos, para tratar da polêmica que houve no último domingo (22), envolvendo a Polícia Militar de Pernambuco e o Náutico. Após a classificação do Timbu à final da Série C 2019, o vice-presidente de futebol do clube, Diógenes Braga, disse que o órgão disponibilizou poucos profissionais para fazer a segurança do evento, citando que o clube foi alvo de uma “retaliação” após ter solicitado a realização do confronto diante do Juventute, nos Aflitos, no mesmo dia do show da banda Bon Jovi, no Arruda. No encontro, Carvalho procurou explicações para o baixo efetivo de policiais.

“Considero que houve um erro, uma falha de comunicação que gerou tudo isso. Já conversei com a vice-governadora e ela repassou o assunto para Paulo Câmara (Governador). Está tudo solucionado e daqui para frente teremos o trabalho normal da PM. Nesse último jogo, nós tivemos que acionar a guarda municial e eles colocaram todo o efetivo à disposição. O importante é que não houve incidentes e tudo correu bem", frisou Evandro.

O mandatário da FPF disse que vai ao Rio de Janeiro conversar com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Após o ocorrido, a entidade nacional se mostrou preocupada com o caso. Foi levantada, inclusive, a possibilidade de Pernambuco deixar de sediar jogos enquanto a situação não for regularizado. Perigo que Carvalho tratou de minimizar.

“Não podemos receber jogos sem a Polícia Militar. Mas o que houve ontem foi um caso isolado, inusitado. Vou ao Rio de Janeiro para tranquilizar a CBF e dizer que teremos normalmente a PM nas próximas partidas", explicou.

Entenda


A confusão entre Náutico e a Polícia Militar do Estado teve início nos últimos dias, quando, por recomendação da própria PM, o Ministério Público de Pernambuco entrou com pedido de adiamento do jogo. O motivo seria por conta da realização do show da banda Bon Jovi, também na noite deste domingo, no Arruda.

O pedido foi atendido pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco. Assim, a partida seria adiada para a próxima segunda (23). No entanto, na última sexta-feira, o Náutico entrou com um mandado de segurança cível e conseguiu derrubar a decisão. Em nota, a Polícia Militar de Pernambuco disse que ficou responsável pelo "patrulhamento externo do estádio, com viaturas, motos e policiamento a pé".

Leia também:
Náutico volta a disputar um título nacional após 30 anos
Álvaro vira artilheiro do Náutico na Série C

Veja também

Messi marca na estreia do Barcelona no Campeonato Espanhol
Campeonato Espanhol

Messi marca na estreia do Barcelona no Campeonato Espanhol

Cristiano Ronaldo marca duas vezes no empate entre Juve e Roma pelo Italiano
Campeonato Italiano

Cristiano Ronaldo marca duas vezes no empate entre Juve e Roma pelo Italiano