Belfort se despede reconhecendo erros e arrependimentos

Campeão mais jovem do Ultimate, Vítor Belfot encerra a carreira neste sábado (12), no UFC Rio, contra Lyoto Machida

Victor Belfort Victor Belfort  - Foto: Ethan Miller/AFP

O UFC Rio, que acontece neste sábado (12), marca o adeus de uma das maiores lendas do MMA brasileiro. Longe do seu auge, Vítor Belfort se prepara para se despedir do octógono no duelo contra o compatriota Lyoto Machida. Mas sem confetes ou homenagens. "Isso aqui não é futebol para jogo de despedida."

Depois de mais de 21 anos de carreira, Belfort admite ter arrependimentos. "Muitos", segundo ele mesmo. "Arrependimento é algo que quando você não tem, é porque não aprendeu." O Fenômeno, contudo, prefere não entrar em detalhes sobre os pontos falhos de sua trajetória. "Em breve vou lançar meu livro, falarei de tudo. Vou abrir o jogo."

A despedida era para ter acontecido em janeiro, quando Belfort enfrentaria Uriah Hall, em St. Louis (EUA). A saída do jamaicano do card após passar mal antes da pesagem abriu a possibilidade para que o "Fenômeno" fizesse seu adeus dentro de casa, no Rio de Janeiro. "Em relação ao que aconteceu está melhor. Fico muito feliz por voltar para casa, onde meu sonho começou."

Leia também:
Vitor Belfort anuncia luta de despedida contra Machida
Belfort não resiste e é nocauteado por Kelvin Gastelum em Fortaleza

Belfort estreou ainda um garoto no UFC. Aos 19 anos, surpreendeu o mundo da luta com seus golpes rápidos e nocauteou Scott Ferrozzo para se tornar o mais jovem a vencer o torneio dos pesados do Ultimate. "Minha primeira vitória no UFC marcou a história. Ninguém conseguiu repetir esse feito ainda." Ex-dono do cinturão dos meio-pesados, Belfort teve como a última chance de glória o duelo contra Chris Weidman, há quase três anos, pelos médios. Ali, contudo, o Fenômeno já dava indícios de que o fim de sua carreira estava próximo: nocauteado em apenas 2min53s de luta.

Mesmo com vitória sobre o veterano Dan Henderson na sequência, os nocautes sofridos para Ronaldo Jacaré, Gegard Mousasi e Kelvin Gastelum deixaram o brasileiro cada vez mais longe do cinturão. A carreira vitoriosa faz com que Belfort se diga feliz com a trajetória. A posição que ficará no ranking da história, contudo, não o interessa. "Não gosto nem de pensar nisso. É tanta prepotência. Sou um cara muito contente, muito feliz", disse em conversa com jornalistas. "Fiz o meu melhor. Errei, acertei. Como vou ser lembrado, na realidade, é como o próximo vai lembrar de como você era. O princípio de tudo é estar satisfeito com você mesmo."

Vítor Belfort e Lyoto Machida farão a primeira luta do card principal do UFC Rio, na noite deste sábado (12). O combate principal da noite será entre Amanda Nunes e Raquel Pennington, valendo o cinturão dos galos feminino. 

Card UFC 224

 

Card principal 
Peso-galo: Amanda Nunes (BRA) x Raquel Pennington (EUA)
Peso-médio: Ronaldo Jacaré (BRA) x Kelvin Gastelum (EUA)
Peso-palha: Mackenzie Dern x Amanda Cooper (EUA)
Peso-galo: John Lineker (BRA) x Brian Kelleher (EUA)
Peso-médio: Vitor Belfort (BRA) x Lyoto Machida (BRA)

Card preliminar 
Peso-médio: Cézar Mutante (BRA) x Karl Roberson (EUA)
Peso-pesado: Alexey Oleynik x Júnior Albini (BRA)
Peso-leve: Davi Ramos (BRA) x Nick Hein (ALE)
Peso-meio médio: Elizeu Capoeira (BRA) x Sean Strickland (EUA)
Peso-meio médio: Warlley Alves (BRA) x Sultan Aliev (RUS)
Peso-médio: Thales Leites (BRA) x Jack Hermansson (SUE)
Peso-meio médio: Alberto Miná (BRA) x Ramazan Emeev (RUS) 
Peso-médio: Markus Maluko (BRA) x James Bochnovic (EUA)

Veja também

Superliga europeia fica ameaçada de ruir dois dias após ser criada
Futebol Internacional

Superliga europeia fica ameaçada de ruir dois dias após ser criada

Superliga é criticada por 14 clubes da primeira divisão inglesa
Futebol Internacional

Superliga é criticada por 14 clubes da primeira divisão inglesa