Bolsa atleta está atrasada em quatro meses

Principal programa de assistência aos atletas depende da liberação de verba por parte da Secretaria da Fazenda

Nações de Maracatu desfilam na Casa da Rabeca, em OlindaNações de Maracatu desfilam na Casa da Rabeca, em Olinda - Foto: Rafael Furtado - Folha de Pernambuco

 

Criado com o intuito de auxiliar a manutenção dos esportistas, o programa Bolsa Atleta do Governo do Estado de Pernambuco, gerido pela Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, está atrasado há quatro meses. A iniciativa, que é dividida em cinco categorias (Estudantil, Regional, Nacional, Internacional e Olímpico/Paralímpico), contempla mais de 300 atletas federados no Estado. O último depósito do programa foi a quitação dos três últimos meses da vigência 2015/2016, no final do primeiro semestre. De lá para cá, não caiu mais dinheiro na conta dos esportistas.

Como o trâmite de seleção de contemplados terminou apenas no início de setembro, são dois meses, de fato, atrasados e outros dois meses a serem pagos de forma retroativa. De acordo com a pasta, o depósito pode ser feito a qualquer momento, a depender da Secretaria da Fazenda, uma vez que todo o processo burocrático está finalizado e a única pendência é realmente a liberação do valor solicitado. A problemática em torno do atraso é dependência que os atletas têm do benefício, que, para muitos, é a única fonte de renda. A Bolsa é utilizada para custear passagens para competições, mas também o dia a dia de treinos.

“Nós necessitamos desse auxílio porque não temos nenhuma outra ajuda. Muitas vezes nós que compramos passagem para ir competir, para comprar alimentos adequados, porque te­mos de seguir uma dieta, e isso é importante. Sem dinheiro fica difícil manter o alto rendimento”, disse uma atleta de handebol do Estado, que está entre os contemplados da Bolsa desde 2009 e atualmente se enquadra n categoria Nacional A, que paga R$1 mil por mês. “Muitas meninas não têm dinheiro nem para treinar. Vamos entrar agora em um torneio muito forte, em São Paulo, e, por isso, temos que nos preparar muito. Só temos esse dinheiro, vivemos do handebol, então, é muito importante para nós”, complementou a jogadora. “É um dinheiro que temos, mas infelizmente não podemos contar. Estamos com dívidas atrasadas, tendo que pedir dinheiro emprestado para treinar. Todo o esforço é apenas para conseguir jogar, porque amamos o esporte, se fosse por qualquer outra coisa, não estaria mais aqui”, reforçou uma colega do elenco.

Em nota, a Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco informou “que o pagamento dos benefícios do Bolsa Atleta PE aguarda a liberação dos valores pela Secretaria da Fazenda, fato que já está encaminhado e pode acontecer a qualquer momento. Lembrando que a lista final do Programa Bolsa Atleta 2016/2017 foi concluída em setembro de 2016. No mesmo período, foi dado início ao processo de formalização de cada um dos 314 atletas e paratletas de todo o Estado que participam do Bolsa Atleta. Todo este trâmite gerou um tempo maior para o início do pagamento das primeiras parcelas desta turma. O Governo de Pernambuco esclarece que as parcelas em aberto serão pagas de forma retroativa, sem nenhum prejuízo para os participantes”.

Time PE
O Time PE, que atende a um menor número de atletas (20), mas paga valores mais altos e ainda contempla treinadores (17), também está atrasado. Embora a pasta tenha conseguido quitar três meses, um segue em aberto.

 

Veja também

Mesmo longe de técnico, Palmeiras negocia por reforços para defesa e ataque
Futebol

Mesmo longe de técnico, Palmeiras negocia por reforços para defesa e ataque

Khabib Nurmagomedov deixa o MMA com recordes e invencibilidade histórica
MMA

Khabib Nurmagomedov deixa o MMA com recordes e invencibilidade histórica