Bottas ganha na 'loteria' da F1 e fica com vaga de Rosberg na Mercedes

A mudanças de peças foi possível graças ao retorno à F1 do brasileiro Felipe Massa

A dois meses do início da nova temporada da Fórmula 1, o finlandês Valtteri Bottas foi o grande vencedor da dança das cadeiras na categoria, sendo escolhido para substituir o campeão do mundo alemão Nico Rosberg na Mercedes, equipe na qual pilotará ao lado de Lewis Hamilton. 

Famosa pela descontração online, a escuderia alemã se divertiu nesta segunda-feira nas redes sociais, dando dicas no Twitter de quem substituiria Nico Rosberg, que surpreendeu o mundo do automobilismo ao se aposentar ao fim da última temporada, logo após se sagrar campeão mundial. 

Ao fim da brincadeira, em que citou a ida de Pascal Wehrlein à Sauber e a volta do brasileiro Felipe Massa à Williams, a Mercedes finalmente oficializou a contratação de Bottas.

A grande rivalidade entre Rosberg e Lewis Hamitlon nas últimas temporadas certamente teve peso para que a Mercedes optasse por um piloto menos renomado, para não entrar em rota de colisão com o competitivo britânico.

Na F1 desde 2013, sempre com a Williams, Bottas se mostrou um piloto consistente e confiável, com nova pódios conquistados na carreira.

"Meu objetivo é somar todos os pontos possíveis, a partir da minha primeira corrida", já alertou Bottas, que terá que conquistar seu espaço ao lado de Hamilton, maior nome da atualidade na F1.

"Acredito que vamos formar uma dupla forte. Eu realmente o respeito, tanto como piloto quanto como pessoa. Ele é tão rápido e representa uma referência para mim", elogiou Bottas a respeito de Hamilton, tricampeão mundial (2008, 2014 e 2015) e que tentará recuperar a coroa de campeão do mundo após a saída de Rosberg, seu grande rival nos últimos anos. 

- Bottas, herdeiro de Raikkonen -

"Às vezes, na vida, circunstâncias inesperadas apresentam oportunidades interessantes. A decisão de Nico em dezembro foi uma grande surpresa, e certamente um desafio a superar para a equipe", escreveu em nota o diretor da Mercedes, Toto Wolff.

As boas relações de Wolff com a Williams -equipe em que já foi acionista- certamente ajudaram para trazer o promissor piloto finlandês à Mercedes.

"Eu garanto que vou dar tudo de mim. Quero agradecer Toto e todo mundo na Mercedes por esta oportunidade", concluiu Bottas em sua apresentação.

Digno herdeiro do compatriota Kimi Raikkonen, o famoso 'Homem de gelo', campeão do mundo com a Ferrari em 2007, Bottas terá à disposição um dos melhores carros da F1 e pilotará para uma equipe que venceu os últimos três títulos mundiais de construtores e pilotos.

A saída de Bottas da Williams automaticamente liberou uma vaga na F1. Quem acabou se dando bem foi o brasileiro Felipe Massa, que havia anunciado sua aposentadoria ao fim do ano passado, mas decidiu voltar a convite da escuderia britânica. Seu parceiro para 2017 será o jovem canadense Lance Stroll, de 18 anos.

Mais cedo, a Sauber deu início à 'dança das cadeiras' ao anunciar que Wehrlein, de 22 anos e 18 GPs disputados na F1, seria o novo piloto da equipe. O nome do jovem piloto foi por muito tempo cogitado para o lugar de Rosberg na Mercedes.

Com essas mudanças, o paddock para a temporada 2017, que começa na Austrália no fim de semana de 26 de março, está fechado. Ao lado das 'Flechas de Prata' da Mercedes, a Ferrari, com Sebastian Vettel e Raikkonen, é a favorita para brigar pelo título mundial.

Assim como a Ferrari, a escuderia austríaca Red Bull manteve seus pilotos e tentará surpreender os favoritos, sempre apostando na eficiência do australiano Daniel Ricciardo e na velocidade e coragem do holandês Max Verstappen, que aos 18 anos se tornou a grande sensação da maior categoria do automobilismo. 

Veja também

Pepê Gonçalves sofre três punições e fica fora da final na canoagem em Tóquio
Jogos Olímpicos

Pepê Gonçalves sofre três punições e fica fora da final na canoagem em Tóquio

Keno Marley perde luta e chance de conquistar primeira medalha olímpica
Jogos Olímpicos

Keno Marley perde luta e chance de conquistar primeira medalha olímpica