Brasil se despede do Mundial em 5º no 4x100 medley

Em prova que teve a equipe dos Estados Unidos como vencedora, brasileiros fizeram o tempo de 3m31s53

Brasileiros no 4x100 em BudapesteBrasileiros no 4x100 em Budapeste - Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

O Brasil encerrou participação no Mundial de Natação de Budapeste, neste domingo (30), com o 7º lugar de Brandonn Almeida nos 400m medley, vencido pelo americano Chase Kalisz, e com a 5ª posição no revezamento 4x100 quatro estilos masculino.

Kalisz completou a prova em 4m05s90, anotando o novo recorde do campeonato. O húngaro David Verraszto (4m08s38) e o japonês Daiya Seto (4m09s14), levaram a prata e o bronze, respectivamente, enquanto Brandonn terminou com 4m13s00.

Nos 4x100 medley, o time brasileiro formado por Guilherme Guido, João Gomes Jr, Henrique Martins e Marcelo Chierighini completou a prova em 3m31s53. É o melhor resultado do Brasil neste tipo de prova em Mundiais de natação.

Festa americana

Quem levou a medalha de ouro foi o time americano, liderado por Caeleb Dressel, que chegou à sétima vitória na Hungria. Acompanhado de Matt Grevers, Kevin Cordes e Nathan Adrian, a equipe dos Estados Unidos completou a prova em 3m27s91. A prata ficou com a Grã-Bretanha e o bronze com a Rússia.

Dressel igualou a marca de títulos conquistada pelo lendário Michael Phelps em Melbourne-2007.

Já a americana Lilly King conquistou o ouro nos 50m peito, com direito a novo recorde mundial da prova com 29s40, quebrando a marca da lituana Ruta Meilutyte (29s48).

A russa Yulia Efimova levou a prata por 17 centésimos, enquanto o bronze foi para a também americana Katie Meili, 59 centésimos atrás da campeã. É o segundo recorde mundial de King em Budapeste. A nadadora também quebrou a marca nos 100m peito, na última terça-feira (25).

No revezamento 4x100 medley entre mulheres, o time americano formado por Kathleen Baker, Lilly King, Kelsi Worrell e Simone Manuel evaporou o recorde mundial e venceu o ouro em 3m51s55, quebrando a marca chinesa de Kazan 2015. A Rússia ficou em segundo (3m53s38) e a Austrália em terceiro (3m54s29).

Sjostrom e Hosszu outra vez

Mas nem todas as glórias ficaram com a equipe dos Estados Unidos. A sueca Sarah Sjostrom conquistou o ouro nos 50m livres, em 23s68. Foi seu terceiro título no Mundial de Natação da Hungria, na frente da holandesa Ramoni Kromowidjojo (23s85) e da americana Simone Manuel (23s97), prata e bronze respectivamente.

Outro momento marcante do dia foi a vitória de Katinka Hosszu, que completou os 400m medley em 4m29s33, seguida pela espanhola Mireia Belmonte (4m32s17) e pela canadense Sidney Pickrem (4m32s88).

Com a conquista, a "Dama de Ferro" chegou a sua quarta medalha na competição, além do título nos 200m quatro estilos, da prata nos 200m costas e do bronze nos 200m borboleta.

Nos 1.500m livres masculino, o italiano Gregorio Paltrinieri conquistou o ouro, mas ficou longe do recorde mundial, com 14m35s85. O ucraniano Mykhailo Romanchuk ficou com a prata (14m37s14) e o bronze foi para o australiano Mack Horton (14m47s70).

Já nos 50m costas, o francês Camile Lacourt se despediu das piscinas com o ouro. O nadador tinha anunciado que se aposentaria depois do Mundial e deu adeus com louvor: tempo em 24s35, superando o japonês Junya Koga (24s51) e o britânico Matt Grevers (24s56).

Veja também

Santa terá três baixas por Covid-19 para a 'decisão' diante do Brusque
Santa Cruz

Santa terá três baixas por Covid-19 contra o Brusque

Golfista argentino procurado pela Interpol é detido no Rio
Golfe

Golfista argentino procurado pela Interpol é detido no Rio