Brasil vence China em amistoso de preparação para Mundial

Seleção voltou a derrotar os anfitriões da Copa do Mundo, neste domingo, no Centro Esportivo de Wuhan

Seleção venceu os dois amistosos que fez contra ChinaSeleção venceu os dois amistosos que fez contra China - Foto: Reprodução/Internet

A seleção brasileira masculina de basquete voltou a derrotar os anfitriões da Copa do Mundo, neste domingo (25), em amistoso disputado no Centro Esportivo de Wuhan. Desta vez com fortes emoções no último período. Sem Didi, poupado, e Alex Garcia, que ficará de cinco a sete dias fora de ação devido a uma contratura na coxa esquerda, o time de Aleksandar Petrovic contou com o retorno de Rafa Luz. Recuperado de um entorse no tornozelo esquerdo, o armador do Murcia jogou bem, anotou dez pontos e ajudou o Brasil a segurar a vantagem nos minutos finais e bater a China por 73x70 (43x32), no segundo duelo entre as duas seleções. 

Leia também:
Petrovic convoca Brasil para o Mundial de basquete
Na estreia de técnico croata, Brasil passa fácil pelo Chile

Com Rafa Luz de volta, mas sem Didi, poupado, e Alex, se recuperando de uma pancada na coxa esquerda, a seleção começou com uma formação bem diferente em relação aos amistosos anteriores. Mas ao contrário da partida de sexta-feira, quando os chineses foram muito superiores nos cinco minutos iniciais, o Brasil começou mais ligado e dominou o período. Bem mais agressivo defensivamente e com Marquinhos quente nas bolas de três - foram duas em duas -, e com Rafa 100%  nos arremessos de quadra, o time de Petrovic venceu o primeiro quarto por 22x17.

Além de Caboclo e Felício, que entraram ainda no fim do primeiro quarto, Benite, Leandrinho e Yago também vieram para o jogo. Mesmo com tantas mudanças o ritmo não caiu e a diferença chegou a sete pontos depois de uma bola de três de Benite e um contra-ataque finalizado por Leandrinho. Os chineses até deram o troco num chute de três de Fang Shuo, mas a marcação brasileira estava ajustada, e os chineses passaram cinco ataques sem marcar. Já a seleção pontuava naturalmente, e a diferença chegou a 11 ao fim do primeiro tempo.

O Brasil voltou do intervalo sufocando o time chinês e aumentou a diferença para 13 logo no primeiro arremesso do segundo tempo. O placar só não ficou ainda mais elástico porque a seleção desperdiçou quatro lance livres seguidos. Os chineses se aproveitaram e cortaram o prejuízo para apenas seis pontos antes da metade do período.

Depois de quase dois minutos sem mexer no placar, o Brasil voltou a pontuar com Leandrinho. Os donos da casa ainda conseguiram manter o jogo equilibrado por algum tempo, mas foi só a defesa brasileira voltar a funcionar que a diferença pulou para 17 pontos ao fim do terceiro quarto.

A China voltou para o último período sem nada a perder e com quatro pontos seguidos diminuiu a diferença pra 13 pontos. Mas uma enterrada de Cristiano Felício na cara de Ren Junfei freou a reação dos donos da casa. Só que uma bola de três de Fung Shuo cortou o prejuízo para oito e colocou fogo no jogo novamente. Com outra cravada, Felício calou o Centro Esportivo de Wuhan, mas duas bolas de três seguidas de Zhao Rui e Fung Shuo recolocaram a China no jogo.

Petrovic parou o jogo e quebrou o ritmo chinês. Se o ataque brasileiro não tinha o mesmo aproveitamento do fim do terceiro período, Felício seguia dominante. Desta vez com um toco sensacional que proporcionou um contra-ataque concluído por Rafa Luz. O jogo que parecia decisivo, ganhou emoção nos minutos finais. Principalmente graças às bolas de três do time chinês. Apesar da reação chinesa, o Brasil conseguiu fecha o placar com mais uma vitória. 

 

Veja também

Kleina admite desempenho abaixo do esperado diante do Cuiabá
Futebol

Kleina admite desempenho abaixo do esperado diante do Cuiabá

Náutico joga mal e perde por 1x0 para o Cuiabá
Futebol

Náutico joga mal e perde por 1x0 para o Cuiabá