Brasil volta a enfrentar a China nesta quinta

Seleção comandada pelo técnico Renan Dal zotto está fazendo amistosos preparatórios para a Liga das Nações

Seleção brasileira de vôlei em amistoso contra a ChinaSeleção brasileira de vôlei em amistoso contra a China - Foto: Gaspar Nobrega/Inovafoto/CBV

Depois de vencer o primeiro amistoso com a China por 3 sets 1 (25/18, 21/25, 25/20 e 25/21), a seleção brasileira masculina de vôlei volta à quadra nesta quinta-feira (17), às 19h, no ginásio do Abaeté, em Taubaté (SP), para o segundo confronto contra os asiáticos. Os duelos fazem parte da preparação da equipe de Renan Dal Zotto para a Liga das Nações, que começa na próxima semana. O treinador está aproveitando o momento para conquistar mais entrosamento do elenco, identificar os pontos fortes e os passiveis de melhora, além de analisar jovens jogadores. 

O Brasil estreia na Liga das Nações no próximo dia 25, na Sérvia, contra os donos da casa. No dia seguinte enfrentará a Itália e, no encerramento da primeira etapa, a Alemanha. Na segunda semana, a equipe dirigida pelo técnico Renan jogará em casa, em Goiânia, contra Coreia do Sul, Japão e Estados Unidos. Os ingressos para as partidas dos dias 1, 2 e 3 de junho estão à venda no site www.tudus.com.br.

Leia também:
Atletas de Cruzeiro e Sesi são chamados para seleção
Líbero, Murilo retorna à seleção para Liga das Nações

Estão convocados para o campeonato os levantadores Bruno, William e Thiaguinho; os opostos Wallace, Evandro e Alan; os centrais Maurício Souza, Lucão, Otávio, Éder e Isac; os ponteiros Lipe, Maurício Borges, Douglas Souza, Lucas Lóh, Rodriguinho, Léo e Victor Cardoso, e os líberos Thales, Murilo e Tiago Brendle.

 

 

 

Veja também

Após vitória, auxiliar técnico César Lucena elogia time do Sport: 'Lutou pelo resultado até o fim'
Sport

Após vitória, auxiliar técnico César Lucena elogia time do Sport: 'Lutou pelo resultado até o fim'

Doze grandes clubes europeus lançam 'Superliga' independente da Uefa
Futebol internacional

Doze grandes clubes europeus lançam 'Superliga' independente da Uefa