Brasileiro acusado de pagar propina a membros do COI é preso nos EUA

Soares foi detido em Miami, cidade em que vivia com endereço certo e conhecido. Ele permaneceu por dois anos livre nos Estados Unidos

 Arthur Cesar de Menezes Soares Filho Arthur Cesar de Menezes Soares Filho - Foto: Divulgação

O empresário Arthur Cesar de Menezes Soares Filho foi preso nesta sexta-feira (25) nos Estados Unidos. Ele era considerado foragido da Justiça brasileira desde 2017.
Rei Arthur, como é chamado, é réu em duas ações penais do esquema de Sérgio Cabral, apontado como pagador de propina para o ex-governador. Entre as acusações, está o pagamento de US$ 2 milhões a membros do COI (Comitê Olímpico Internacional) para a escolha do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016.

Soares foi detido em Miami, cidade em que vivia com endereço certo e conhecido. Ele permaneceu por dois anos livre nos Estados Unidos sem que os procuradores brasileiros soubessem o motivo oficial dos norte-americanos não executarem sua prisão. Havia a suspeita de que o empresário havia firmado algum acordo com as autoridades daquele país, mas sem qualquer confirmação oficial. Não se sabe o motivo da prisão realizada nesta sexta. Rei Arthur já constava na lista de procurados da Interpol há dois anos. O advogado Nythalmar Dias Filho, que defende o empresário, disse que não se manifestaria sobre a prisão.

Em julho deste ano, Cabral depôs ao juiz Marcelo Bretas no processo em que é acusado de ter pago US$ 2 milhões (cerca de R$ 7,6 milhões na cotação atual) ao senegalês Lamine Diack, ex-presidente da federação internacional de atletismo, para influenciar na escolha da cidade como sede dos Jogos. Quatro cidades eram candidatas na eleição de 2009 (além do Rio, Madri, Tóquio e Chicago). A vitoriosa seria escolhida por eliminação. A cada rodada de votação, a cidade menos marcada é retirada da disputa, iniciando nova votação.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, o pagamento foi feito pelo empresário Arthur Soares, dono de prestadoras de serviços do estado, ao filho do membro do COI Papa Masata Diack. O valor foi debitado da propina paga a Cabral, fatos confirmados pelo ex-governador. Embora o pagamento tenha sido feito apenas ao senegalês, emails interceptados durante a investigação sugeriam que o dinheiro tinha outros beneficiários.

Leia também:
COI adverte Itália sobre risco de exclusão das Olimpíadas
COI aprova break, escalada, surfe e skate em Paris-2024

Veja também

Ministério da Saúde aprova estudo sobre volta das torcidas em estádios de futebol
Futebol

Ministério da Saúde aprova estudo sobre volta das torcidas em estádios de futebol

Michael Jordan amplia negócios e vira sócio de equipe da Nascar
Esportes

Michael Jordan amplia negócios e vira sócio de equipe da Nascar