A-A+

Brasileiros perdem espaço na NBA na atual temporada

Já se passaram mais de 30 jogos dos 82 programados para a temporada, e os atletas brasileiros pouco atuaram

Nenê sequer atuou nesta temporada pelos RocketsNenê sequer atuou nesta temporada pelos Rockets - Foto: AFP

A NBA chega ao fim de 2019 com o Brasil em baixa. A atual temporada registra queda nos minutos dos brasileiros por partida e atesta a perda de terreno dos atletas verde-amarelos no principal basquete do mundo. Dos quatro jogadores em elencos da liga, apenas dois estão ativos, e por poucos minutos. Na média, o basquete brasileiro não fica nem metade de um jogo em quadra.

Já se passaram mais de 30 jogos dos 82 programados para a temporada, e os atletas brasileiros pouco atuaram. Nenê (Houston Rockets) e Cristiano Felício (Chicago Bulls) sequer receberam chances; já Raulzinho e Bruno Caboclo somam pouco mais de 20 minutos por jogo, menos da metade dos 48 minutos de cada duelo da NBA.

Quem mais joga em 2019/2020 é Raulzinho. Terceiro armador na rotação do Philadelphia 76ers, atrás do titular Ben Simmons e do reserva imediato Trey Burke, o brasileiro de 27 anos atua 11,6 minutos por partida, com quase 4 pontos de média e 1,5 assistência.

Raulzinho chegou a Filadélfia em busca de mais minutos, mas perdeu espaço em relação à última temporada pelo Utah Jazz, quando atuava 12,8 minuto por duelo. Das 28 aparições pelos Sixers nesta temporada, somente em duas o brasileiro iniciou a partida como titular.

No pouco tempo de quadra, porém, Raul Neto exibe bons aproveitamentos: 48,9% dos arremessos de quadra e 45,7% da linha dos três pontos.

Assim como Raulzinho, Bruno Caboclo também possui pouco espaço no Memphis Grizzlies, apesar do bom Mundial com a seleção brasileira, especialmente no jogo contra a Grécia de Giannis Antetokounmpo. O ala brasileiro atua em média 9,8 minutos e anota 3,3 pontos por partida. O aproveitamento dos arremessos, no momento, é abaixo da média, com 42,4% de quadra e apenas 17,4% do perímetro.

Leia também:
Lakers despontam e recuperam respeito na NBA


Já Nenê e Felício ainda esperam por uma chance. O pivô veterano, que encarou um veto da liga ao tipo de contrato oferecido primeiramente pelo Houston Rockets, perdeu o espaço na rotação para Tyson Chandler, jogador que completa a 19ª temporada na principal competição de basquete do planeta.

Por outro lado, Felício passa por novo período de recomeço nos Bulls. Na G-League, campeonato de desenvolvimento de jogadores para a NBA, o brasileiro tem se destacado. Em três jogos, o ex-atleta do Flamengo soma médias de 19,3 pontos e 10,3 rebotes por confronto.

Se o Brasil perdeu espaço, o basquete estrangeiro se impõe na temporada 2019/2020 da NBA. Dois dos principais candidatos ao prêmio de MVP nasceram fora dos Estados Unidos e concorrem de igual para igual com nomes como James Harden, LeBron James e Anthony Davis.

Eleito o atleta mais valioso do campeonato passado, Giannis Antetokounmpo segue em altíssimo nível pelo bi. Com médias de 30,5 pontos e 12,9 rebotes por partida, o grego lidera Milwaukee Bucks, líder da Conferência Leste e dono da melhor campanha da NBA.

Giannis tem como concorrente direto o esloveno Luka Doncic. O principal jogador do Dallas Mavericks subiu de rendimento no segundo ano de liga e quase possui um triplo-duplo de média por confronto: 29,3 pontos, 8,9 assistências e 9,6 rebotes.

Veja também

Após empate, Hélio reforça que ainda acredita em acesso
Futebol

Após empate, Hélio reforça que ainda acredita em acesso

Após início com falhas, Náutico reage, mas fica no empate diante do Vasco
Futebol

Após início com falhas, Náutico reage, mas fica no empate diante do Vasco