Bruno projeta crescimento na temporada 2019

Goleiro assumiu a titularidade do Náutico após a saída de Jefferson

Bruno foi titular do Náutico em 2018Bruno foi titular do Náutico em 2018 - Foto: Léo Lemos/Divulgação/Náutico

Foi preciso passar mais de uma década, precisamente 12 anos, para um goleiro prata da casa do Náutico iniciar uma temporada como titular. Jefferson quebrou o jejum no início de 2018, ao assumir o posto principal do gol alvirrubro - o último havia sido Rodolpho, em 2006. Em 2019, a história se repetirá, mas com outro nome. Seguindo os espaços dos companheiros de posição, Bruno também terá a oportunidade de começar com a camisa 1 e não herdá-la no decorrer dos jogos.

"Esse ano foi quase perfeito. Apesar da eliminação na Série C, tivemos muitas vitórias, saímos com um título pernambucano e o reconhecimento da torcida. Acredito que pude aproveitar a oportunidade que recebi. Espero agora continuar com essa sequência boa em 2019", afirmou Bruno.

O goleiro assumiu a titularidade do Náutico após o então titular Jefferson sofrer uma contusão muscular na coxa, em fevereiro - um mês depois, foi emprestado ao Atlético/GO. Bruno herdou a vaga. O começo foi irregular, com boas atuações e algumas falhas. Na visão do próprio atleta, fruto do nervosismo.

“A ansiedade foi o que mais me atrapalhou no começo. Precisava fazer bons jogos e ficava imaginando que o Náutico poderia contratar outro goleiro e que eu perderia a oportunidade. Mas com o passar das partidas eu fui ficando mais tranquilo”, apontou. Evolução que tem parcela de contribuição de um profissional em especial.

“Júnior Matos (preparador de goleiros) foi fundamental. Ele tinha um método diferente de trabalho. No começo foi complicado de entender, mas depois eu vi que ele tinha razão. Pedia um posicionamento mais agressivo, adiantado. Eu me orgulho muito de ter recebido ajuda dele. Sei que preciso melhorar em todos os aspectos ainda. Sempre busco algo mais”, contou.

Em 2019, Bruno deve ter mais concorrência. Jefferson voltará de empréstimo e outros nomes da base estarão de olho em um espaço no clube. Nada que incomode o atual titular.

"Sempre fui amigo de Jefferson. Já passamos Natal juntos e digo que ele é um irmão que o futebol me deu. É um cara que dá conselhos e ajuda bastante. A concorrência vai ter sempre. Náutico já provou que tem grandes goleiros. Provou com ele, comigo e ainda tem Sérgio e Renan. Não posso dar brecha", finalizou. Ao todo, Bruno fez 40 jogos pelo Náutico em 2018.

Leia também:
No Paraguai, Náutico mira reforços para 2019
Náutico e Santa Cruz de olho na bola parada

Veja também

Ingressos da Olimpíada viram dilema para familiares de atleta e grupo de fãs
Olimpíada

Ingressos da Olimpíada viram dilema para familiares de atleta e grupo de fãs

Marta responde Bolsonaro após fala do presidente sobre futebol feminino
Polêmica

Marta responde fala de Bolsonaro sobre futebol feminino