Bryan lamenta possibilidade de jogos sem torcida

Lateral-direito do Náutico relatou que os treinamentos têm acontecido por videochamadas

Bryan, lateral-direito do NáuticoBryan, lateral-direito do Náutico - Foto: Léo Lemos/Náutico

Reiniciar os campeonatos com jogos de portões fechados é praticamente uma realidade que tomará conta do futebol brasileiro assim que os casos do novo coronavírus começarem a cair. Medida de segurança que, por mais que seja aceita por boa parte dos atletas, ainda traz o incômodo de não ter a presença da torcida.

"Vai ser muito ruim, diferente. Estamos acostumados a jogar nos Aflitos lotado e não ter ninguém lá é chato. Temos de ter foco e fé que as coisas vão melhorar. Mesmo sem a presença deles no estádio, sei que eles continuarão nos apoiando", afirmou o lateral-direito Bryan, do Náutico.

O jogador também contou como tem sido a rotina de treinamentos neste período afastado dos trabalhos presenciais no CT Wilson Campos. "A situação está séria no Recife, mas torcemos que as coisas melhorarem para voltarmos à rotina. Procuramos nos cuidar, tomando os cuidados devidos para nada acontecer conosco. O pessoal do clube precisa ter cautela para não colocar a vida de todos em risco. Claro que treinar em casa não é o mesmo que treinar no campo, mas estamos mantendo uma intensidade. Treinamos por videochamada para manter o ritmo. Mesmo estando longe e não tendo o espaço direito, nós fazemos o melhor", explicou.

Leia também:
Sport ultrapassa R$ 7 mil em venda de ingressos virtuais para partida contra o Náutico
Kuki relembra acesso do Náutico em 2006

Veja também

Regularizado, Thiago Neves diz estar ansioso pela estreia no Sport
Sport

Regularizado, Thiago Neves diz estar ansioso pela estreia no Sport

Presidente da Fifa teme atrasos em eliminatórias da Copa do Mundo
copa do mundo

Presidente da Fifa teme atrasos em eliminatórias da Copa do Mundo