Bulgária é punida com portões fechados e multa por atos racistas

Uefa puniu a federação búlgara razão dos atos discriminatórios de torcedores búlgaros na derrota para a Inglaterra por 6x0, no último dia 14

Torcedores búlgaros ofenderam atletas inglesesTorcedores búlgaros ofenderam atletas ingleses - Foto: NIKOLAY DOYCHINOV / AFP

A Uefa anunciou nesta terça-feira (29) que a seleção da Bulgária terá de jogar com portões fechados seu próximo compromisso pelas eliminatórias da Eurocopa. Além do jogo sem torcida, a federação do país também terá de pagar 75 mil euros de multa (cerca de R$ 332 mil).

A punição foi imposta pela confederação europeia em razão dos atos discriminatórios de torcedores búlgaros na goleada sofrida para a Inglaterra por 6x0, no último dia 14.

Leia também:
Goleada inglesa é manchada por racismo da torcida da Bulgária
Fifa 'não tá nem aí' para o racismo, acusa Yaya Touré
Infantino quer proibição de acesso a estádios para torcedores por racismo
Polícia búlgara prende torcedores após atos racistas

Na ocasião, o estádio nacional Vasil Levski, em Sofia, já estava parcialmente fechado por manifestações racistas em partidas anteriores da classificação à Euro. Diante dos ingleses, torcedores da equipe local imitaram macacos e foram vistos fazendo saudações nazistas.

A partida chegou a ser pausada duas vezes pelo árbitro croata Ivan Bebek. Uma terceira interrupção causaria a suspensão do jogo, mas isso não aconteceu.

Agora, contra a República Tcheca, no próximo dia 17 de novembro, a seleção búlgara jogará sem torcida. Seus jogadores também terão de entrar em campo com uma faixa que diz "No to racism" (Não ao racismo, em inglês), com o logo da Uefa estampado.

A Uefa também informou que a equipe nacional da Bulgária ficará sob observação durante um período de dois anos. Em caso de reincidência de sua torcida nesse período, a entidade determinará um segundo jogo da seleção sob portões fechados.

A ONG Fare Network, principal organização europeia de combate à discriminação, se disse "desapontada" com a punição concedida pela Uefa. Na visão da Fare, a Bulgária deveria ser excluída disputa pela classificação à próxima Eurocopa.

"Achamos que as evidências e circunstâncias dessa partida justificariam que o futebol europeu desse um forte sinal sobre a necessidade de combater o racismo", afirmou a Fare.

Após o episódio dos torcedores búlgaros, o presidente da federação local de futebol, Borislav Mihaylov, e o técnico da seleção, Krasimir Balakov, pediram demissão de seus respectivos cargos.

A Inglaterra também foi punida pelo jogo contra a Bulgária. A Uefa anunciou uma punição de 5 mil euros (R$ 22 mil) pelas vaias da torcida inglesa ao hino nacional búlgaro.

Veja também

Novo primeiro-ministro japonês se diz "decidido" a sediar Jogos Olímpicos apesar da pandemia
Jogos Olímpicos

Novo primeiro-ministro japonês se diz "decidido" a sediar Jogos Olímpicos apesar da pandemia

STJD nega pedido do Flamengo e mantém jogo contra o Palmeiras no domingo
Futebol

STJD nega pedido do Flamengo e mantém jogo contra o Palmeiras no domingo