Cabanga apresenta novidades da 31ª Refeno

Ao todo já são 101 embarcações inscritas representando 12 estados brasileiros e quatro países, sendo dois barcos da Argentina, um da Bélgica e um da Holanda

Coletiva sobre a Refeno realizada nesta quinta-feira (12)Coletiva sobre a Refeno realizada nesta quinta-feira (12) - Foto: Arthur Mota/ Folha de Pernambuco

A Regata Recife-Fernando de Noronha (Refeno) dá largada para a sua 31ª edição no próximo dia 12 de outubro, ao meio-dia. Em coletiva de imprensa ontem, na marca de um mês para a partida, o Cabanga Iate Clube apresentou os números e as expectativas para o evento deste ano, considerado a maior regata de travessia oceânica da América Latina.

Pelo menos 609 velejadores partirão no Dia das Crianças do Marco Zero do Recife em direção ao Mirante do Boldró, no arquipélago de Fernando de Noronha. O percurso, cujo tempo recorde de 14h34min54s foi feito em 2007 pelo veleiro baiano Adrenalina Pura, tem 300 milhas náuticas, o equivalente a 560 quilômetros. O número de tripulantes, segundo a organização, pode aumentar para 800 até dias antes da partida.

Leia também:
31ª etapa da Refeno já conta com 54 barcos inscritos
Refeno 2019 será realizada em outubro


Para a edição de 2019 da regata mais charmosa do Brasil já são 101 embarcações inscritas representando 12 estados brasileiros e quatro países, sendo dois barcos da Argentina, um da Bélgica e um da Holanda. Pernambuco conta com 18 barcos e São Paulo é a unidade federativa com mais veleiros: são 24 ao todo. Esta já é a terceira maior Refeno em número de naus, atrás apenas das edições de 2004 (120) e 2008 (117).

Os números em expansão da Refeno ressaltam o trabalho de renovação da regata para o comodoro do Cabanga Iate Clube, Delmiro Gouveia. “Enfrentamos um declínio no número de inscritos, mas conseguimos reverter e crescer em 80% este ano em relação ao ano passado “Sabemos das dificuldades da economia do País e houve um empenho”, destacou. “Temos trabalhos de preservação ambiental e social junto à comunidade de Fernando de Noronha”, continuou o representante do clube, ao citar o caráter social da regata.

Todas as embarcações passam por inspeção antes da largada. O diretor da Refeno, Leonides Alves, destacou as melhorias na segurança realizadas em conjunto com a Marinha do Brasil. “Teremos um reforço com duas embarcações custeadas pela organização que vão no meio da flotilha para dar suporte aos tripulantes”, explicou.

Em relação ao favorito para conquistar a Fita Azul, como é chamado o título principal da regata, o diretor aposta no trimarã pernambucano Patoruzú, que chegou na frente na regata de 2018 após quatro anos de domínio do gaúcho Camiranga. “O Patoruzú é um forte candidato e eu apostaria nele. Dependendo das condições do tempo pode até mudar, porque cada tipo de barco tem uma performance melhor de acordo com o vento”, disse.

O secretário executivo estadual de Turismo e Lazer, Antônio Neves Baptista, citou a importância da Refeno para o turismo da Ilha e do Estado. "A regata agrega e divulga na mídia nacional nossos destinos, além de aquecer a economia. Há expectativa para 800 tripulantes que trazem seus familiares e amigos, o que transforma a Refeno em uma grande festa e faz a rede hoteleira da Ilha alcançar ocupação perto de 100%", pontuou.

Além da regata, a programação da Refeno inclui uma série de eventos, com calendário de 6 a 20 de outubro, incluindo a chegada da travessia de retorno em Cabedelo, na Paraíba. Entre as principais atividades além da regata, palestras para os velejadores, cursos técnicos, torneio de tênis, shows, ações sociais e confraternização.

Números da Refeno em 30 edições
1.844 embarcações participantes
62 embarcações por edição em média
15.795 quilômetros percorridos
10.832 tripulantes
361 tripulantes por edição em média
24 países e 17 estados brasileiros já participaram da Refeno
20 barcos fizeram a travessia na primeira edição, em 1986

Veja também

'Poderia ter sido de quatro', exalta Hélio dos Anjos após 1ª vitória no retorno aos Aflitos
Náutico

'Poderia ter sido de quatro', exalta Hélio dos Anjos após 1ª vitória no retorno aos Aflitos

Uefa analisa Liga dos Campeões com mínimo de 10 jogos por time
Liga dos Campeões

Uefa analisa Liga dos Campeões com mínimo de 10 jogos por time