Caminho das seleções em Tóquio se assemelha à Rio-2016

Enquanto os homens têm grupo mais difícil na primeira fase, as mulheres devem pegar pedreira nas quartas de final

Seleção masculina de vôlei em ação na Liga MundialSeleção masculina de vôlei em ação na Liga Mundial - Foto: Divulgação/FIBV

Com o encerramento dos torneios pré-olímpicos de vôlei, ficaram definidas as seleções que estarão na disputa pelo título nos Jogos de Tóquio, entre os próximos meses de julho e agosto. Tanto no masculino quanto no feminino, a primeira fase conta com dois grupos compostos por seis equipes cada, das quais apenas as quatro melhores colocadas avançarão para o cruzamento de quartas de final.

No feminino, o Brasil aparece no Grupo A, ao lado de Japão, Sérvia, Coreia do Sul, República Dominicana e Quênia. O B, composto por China, Estados Unidos, Rússia, Itália, Argentina e Turquia, é o chamado “grupo da morte”. O cenário é favorável para a classificação brasileira ao mata-mata, porém acende um alerta por indicar um confronto mais duro nas oitavas.

A situação é semelhante ao que aconteceu nas Olimpíadas do Rio, em 2016, quando a seleção comandada por José Roberto Guimarães fez uma primeira fase com 100% de aproveitamento, sem perder um set sequer diante de Argentina, Camarões, Japão, Rússia e Coreia do Sul.

Nas quartas, pegou a China, quarta colocada em um Grupo B extremamente equilibrado, com Estados Unidos, Sérvia, Holanda e Itália brigando diretamente por classificação. O ritmo fez a diferença e as chinesas levaram a melhor por 3 sets a 2, vindo futuramente a conquistar o título do torneio.

Leia também:
Vôlei russo fora dos Jogos Olímpicos?
Vôlei: Brasil vence de virada e se garante em Tóquio-2020
Brasil vence no vôlei feminino e garante vaga em Tóquio-2020


No masculino, a situação do Brasil é a oposta. O time de Renan Dal Zotto caiu no grupo mais complicado da primeira fase em Tóquio, o B, que tem ainda Estados Unidos, Rússia, França, Tunísia e Argentina. Do outro lado estão Japão, Polônia, Itália, Canadá, Irã e Venezuela.

O mesmo também aconteceu na Rio-2016, quando o Brasil disputou a classificação rodada a rodada com Itália, Canadá, Estados Unidos e França, passando apenas em quarto lugar. O elevado nível da primeira fase deu mais ritmo para enfrentar o mata-mata e a equipe deslanchou, superando Argentina e Rússia e faturando o título em cima da Itália por 3 sets a 0.

Em Tóquio, as disputas do vôlei têm início marcado para 25 de julho, um dia após a cerimônia oficial de abertura do evento. As finais estão previstas para os dias 8 e 9 de agosto. Antes dos Jogos, porém, os atletas ainda têm uma verdadeira maratona pela frente. O calendário da modalidade, inclusive, vem sendo alvo de fortes críticas por oferecer poucas brechas para descanso e competições com muitos e longos deslocamentos.

No momento, os brasileiros estão disputando campeonatos nacionais, no Brasil ou em equipes do exterior. A Superliga, principal certame de clubes do País e onde atuam a maioria dos atletas das seleções nacionais, termina em maio, mesmo mês no qual terá início a Liga das Nações (substituta da Liga Mundial e do Grand Prix).

Se no ano passado a Liga foi esvaziada porque muitas equipes pouparam seus principais atletas para disputas de pré-olímpico, em 2020 tem tudo para ser mais forte, já que será o último teste antes dos Jogos. No entanto, trata-se de um torneio muito desgastante, pois o formato exige que as seleções façam cinco semanas de Fase Classificatória, sendo casa uma em um país diferente, além da Fase Final.

Neste ano, a Liga feminina vai de 19 de maio a 18 de junho e a masculina acontece entre 22 de maio e 21 de junho. A seleção feminina terá duas etapas do Brasil (Cuiabá e Brasília) e depois jogará na China, Polônia e Coreia do Sul. Se for à final, retornará para a China. Os homens estrearão nos Estados Unidos, voltarão ao Brasil (Brasília), seguirão para Polônia e Irã e retornarão ao País (Campo Grande). Se forem à final, jogarão na Itália.

É praxe de todas as equipes mesclarem seus elencos durante o torneio para evitar o desgaste dos atletas, sobretudo neste ano, com uma Olimpíada prevista para apenas 20 dias após a Liga. Na Fase Final, contudo, será possível ver um desenho mais claro das equipes.

Veja também

“Grande Copa do Mundo”, diz Ventura sobre reta final do Sport na Série A
Futebol

“Grande Copa do Mundo”, diz Ventura sobre reta final do Sport na Série A

Japão crê que será difícil realizar Jogos Olímpicos, diz jornal
Olimpíada

Japão crê que será difícil realizar Jogos Olímpicos, diz jornal