Canal de denúncias contra abusos será criado pelo COB

Iniciativa foi tomada após as acusações de abusos envolvendo ex-treinador de ginástica artística Fernando de Carvalho Lopes.

Fernando de Carvalho Lopes, ex-técnico da seleção masculina de ginásticaFernando de Carvalho Lopes, ex-técnico da seleção masculina de ginástica - Foto: Ricardo Bufolin/CBG

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) irá criar um canal de ouvidoria para acolher vítimas de abusos e investigar novas denúncias. A iniciativa foi tomada após as acusações de abuso sexual envolvendo o ex-treinador de ginástica artística Fernando de Carvalho Lopes. A informação foi dada pelo vice-presidente do COB, Marco Antônio La Porta, em entrevista à TV Globo e confirmada pela reportagem.

"Dentro dos parâmetros que o COB tem feito de modernização de sua governança, vamos criar um canal que vai estar disponível no final de maio, aberto a todo o público. Através desta ouvidoria, qualquer um pode fazer uma denúncia", disse La Porta.

O ex-técnico de ginástica artística, Fernando de Carvalho Lopes, que está sendo acusado de abuso sexual por ginastas e ex-ginastas, foi afastado de qualquer atividade dentro do clube Mesc, no qual trabalhava. De acordo com a nota oficial do clube, inclusive, ele fazia atualmente funções administrativas. Fernando chegou a comandar a seleção brasileira masculina de ginástica, mas foi afastado às vésperas dos Jogos Rio-2016, quando aconteceu a primeira denúncia contra ele, que é réu em processo que corre em segredo de justiça há dois anos. 

Leia também:
Ginastas denunciam abuso de ex-técnico da seleção

Segundo a reportagem apurou, a ideia é que este canal criado para evitar casos de abusos dentro do desporto já esteja no ar até o próximo dia 22. Ainda falta finalizar a redação jurídica do documento para que possa ser efetivamente colocado no ar.

Segundo La Porta declarou à TV Globo, além do caso do ex-treinador Fernando Lopes, o escândalo envolvendo a ginástica feminina americana também serviu de motivação para as mudanças de procedimento nas confederações e federações. "Casos como este nos Estados Unidos trazem para o esporte uma preocupação muito grande. Mas não só na ginástica que acontece, também ocorre em outros esportes. Foi bom no intuito de ligar o sinal de alerta, todos ficam mais atentos", afirmou La Porta.

A CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) também efetuou mudanças em seus procedimentos internos. No mês de março, a entidade assinou um Termo de Cooperação contra o Assédio Sexual e Abuso no Esporte com o Ministério Público do Trabalho.

Veja também

Com Louzer de olho, Sport visita Sete de Setembro, pelo Estadual
Campeonato Pernambucano

Com Louzer de olho, Sport visita Sete de Setembro, pelo Estadual

Com VAR, Clássico das Multidões será marcado por encontro entre opostos
Campeonato Pernambucano

Com VAR, Clássico das Multidões será marcado por encontro entre opostos