Santa Cruz

Canhota afiada, Chiquinho garante tranquilidade e alerta: ‘ganhamos nada ainda’

Um dos mais experientes do elenco, meia se mostra referência na bola parada e aparece como uma das peças mais importantes do time coral na temporada

Chiquinho, meio-campista do Santa CruzChiquinho, meio-campista do Santa Cruz - Foto: Rafael Melo/SCFC

Bons batedores de falta não faltam ao Santa Cruz na temporada 2020, mas um tem se destacado, especialmente na Série C: Chiquinho. Canhota afiada e uma das referências técnicas do elenco, com dois gols anotados nas duas últimas partidas, o  meia vem se utilizando bem dos artifícios com a bola parada, sendo uma das peças essenciais para a boa desenvoltura da Cobra Coral em campo.

O meia ofensivo, contudo, adianta-se para não levar os créditos sozinho e, logo, faz questão de compartilhar a boa fase com os companheiros. Segundo Chiquinho, a especialidade na bola parada vem sendo um fundamento constantemente trabalhado nos treinos. 

“Não só eu, tem o Didira, tem Potiguar também que quando entra bate as bolas paradas. A gente vem treinando bastante isso, eu principalmente quando tem bola parada concentro bastante para buscar jogadores como Danny, William, Célio, Pipico, ou bater direto para o gol. Venho caprichando bastante, espero que continue saindo para a gente ir buscando as vitórias”, comentou. 

Vindo de uma derrota por 2x1 em casa, diante do Manaus, a situação do time comandado por Marcelo Martelotte é confortável no Grupo A da Terceirona. O que para o meia não significa dizer que a equipe pode relaxar nos dois próximos jogos, contra Jacuipense e Ferroviário, até porque é preciso estar afiado para encarar a fase decisiva visando o acesso à Série B. 

“Estamos bem conscientes do que devemos fazer. Desde quando chegamos no clube, a gente vem fazendo o nosso melhor, buscando estar sempre 100%, e não vai ser diferente nesses dois últimos jogos. Estamos classificados para a próxima fase, não podemos relaxar por essa situação, temos que concentrar mais ainda, manter os pés no chão, porque não ganhamos nada ainda”.

“Espero que a gente continue fazendo bons jogos. Eu sou um jogador que gosto muito de jogar com a bola, que procura os jogadores, fazer passe para os atacantes. Essa é uma das minhas características e espero que isso continue fazendo diferença dentro dos jogos. Tenho certeza que na próxima fase a gente vai estar mais consciente, mais tranquilo ainda para fazermos o nosso melhor”.

 

Veja também

Com hepta de Amandinha, Brasil domina premiação do futsal mundial
Futsal

Com hepta de Amandinha, Brasil domina premiação do futsal mundial

CBF confirma datas e horários das finais da Série D do Brasileiro
Futebol

CBF confirma datas e horários das finais da Série D do Brasileiro