Casa arrumada para o adeus aos guerreiros

Corpos de vítimas são velados em Chapecó, interior de Santa Catarina, que se despede hoje dos seus heróis

Presidente da OAB Pernambuco, Ronnie Preuss DuartePresidente da OAB Pernambuco, Ronnie Preuss Duarte - Foto: Divulgação

A cidade de Chapecó recebe os corpos dos 50 mortos no acidente aéreo ocorrido na última terça, na Colômbia, que vitimou 71 pessoas, entre atletas e membros da comissão técnica da Chapecoense, além de jornalistas que estavam no voo da Lamia que seguia para Medellín, onde os brasileiros disputariam a final da Copa Sul-Americana 2016, contra o Atlético Nacional/COL. O velório será na Arena Condá, casa do Verdão do Oeste. Telões serão instalados nas proximidades do estádio, que tem capacidade de 19 mil pessoas. Segundo as autoridades, aproximadamente 100 mil pessoas devem acompanhar no lado de fora o funeral.
Três aviões Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB) foram os responsáveis pelo translado da maioria das vítimas. Eles decolaram da base aérea de Rio Negro, na região metropolitana de Medellín, na Colômbia, no fim da tarde de ontem. As duas primeiras aeronaves saíram em intervalos de 15 minutos, transportando 17 corpos cada até a cidade catarinense. A última levou 16 caixões. A previsão é de que todas cheguem até 8h. O presidente da República, Michel Temer, estará presente apenas em cerimônia reservada de recepção dos corpos das vítimas, no aeroporto Municipal de Chapecó, interior de Santa Catarina.
Antes da abertura dos portões da Arena ao público, serão reservados 45 minutos para que as famílias das vítimas participem de cerimônia privada no gramado do estádio. Depois, 2,5 mil convidados dos familiares poderão entrar, ficando em uma área delimitada no campo.
Os caixões serão transportados em três caminhões abertos e um quarto veículo levará os profissionais da imprensa no percurso. Cerca de 1,2 mil jornalistas de 15 países estão credenciados para a cobertura. O trajeto do aeroporto ao estádio, de nove quilômetros, passará por três ruas: avenida Irineu Bornhausen, avenida General Osório e, por fim, rua Uruguai. A cerimônia tem previsão de início às 12h e estimativa de término às 16h. O presidente da Fifa, Gianni Infantino, confirmou presença no velório. Além dele, o mandatário da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo del Nero, também estará na cerimônia.
Negligência
Embora o laudo oficial do acidente ainda não tenha sido divulgado, o Ministro da Defesa, Raul Jungmann, destacou que a principal causa da tragédia foi a negligência do piloto da Lamia, Miguel Quiroga. “O governo da Colômbia pediu que uma equipe da Aeronáutica, do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), cuidasse do caso. Todas as notícias apontam até aqui, e falo isso sem citar o laudo definitivo, de que houve de fato uma negligência da companhia (Lamia). Ele (piloto) teria abastecido o avião no limite para fazer o translado de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, até Medellín, na Colômbia. Pelas normas internacionais, o avião deveria ter combustível para mais 45 minutos”, afirmou o ministro.

Veja também

Vinícius avalia evolução na carreira e diz que Náutico pensa em acesso
Futebol

Vinícius avalia evolução na carreira e diz que Náutico pensa em acesso

Com jogos no Santos Dumont, Brasileiro de Beach Soccer começa nesta quarta
Beach Soccer

Com jogos no Santos Dumont, Brasileiro de Beach Soccer começa nesta quarta