Caso Erick: Justiça ouvirá Magrão antes de decisão final

Timbu volta a correr risco de ter valor da venda do atleta penhorado para pagamento de dívidas

Atacante deixou o Timbu no último fim de semanaAtacante deixou o Timbu no último fim de semana - Foto: Anderson Stevens

Quando o Náutico imaginou que o assunto Erick já fazia parte do passado, eis que uma novidade surge para colocar uma ponta de preocupação na cabeça dos alvirrubros. Nesta segunda (28), o desembargador responsável por avaliar a ação que pede a penhora dos valores da venda do atacante de 19 anos para quitar antigos débitos indicou que a Justiça precisará ouvir o ex-volante Magrão, autor do pedido, antes de tomar uma decisão final sobre o caso. Vale recordar que o Timbu havia conseguido, na última sexta (25), uma liminar impedindo que a quantia ganha com a transferência fosse direcionada para o pagamento de dívidas trabalhistas. A defesa de Magrão tem 10 dias para se posicionar sobre o requerimento. 

O Náutico tem uma dívida de R$ 1 milhão com Magrão. Além dele, o ex-jogador alvirrubro William Alves também entrou na Justiça para receber um valor referente à uma dívida de 2013, de pouco mais de R$ 200 mil. Enquanto isso, o atacante Erick, vendido ao Braga/POR por R$ 2,4 milhões, foi apresentado nesta manhã no clube europeu, assinando contrato por cinco temporadas. O Timbu ainda permanece com 15% dos direitos econômicos do jogador e, após o ex-camisa 33 disputar 10 partidas pela equipe portuguesa, os pernambucanos ganharão mais R$ 650 mil.

Veja também

Com série de desfalques por conta da Covid-19, Náutico visita a Ponte Preta
Futebol

Com série de desfalques por conta da Covid-19, Náutico visita a Ponte Preta

Vale o acesso à Série B: Santa recebe o Brusque, pelo duelo final do quadrangular da Série C
Futebol

Vale o acesso à Série B: Santa recebe o Brusque, pelo duelo final do quadrangular da Série C