Catar pode se opor à Copa do Mundo com 48 seleções

"É evidente que o Catar precisará estar de acordo", afirmou o presidente da Fifa, Gianni Infantino a jornalistas em Zurique

Presidente da Fifa, Gianni InfantinoPresidente da Fifa, Gianni Infantino - Foto: JACK GUEZ/AFP

O Catar, país-sede da Copa do Mundo de 2022, que deve reunir 32 seleções, poderia se opor a ampliação do número de equipes para 48, revelou nesta segunda-feira o presidente da Fifa, Gianni Infantino.

A primeira Copa com 48 equipes está programada para 2026, para a qual são candidatos a sede Marrocos e o trio formado por Estados Unidos, México e Canadá.

Dez dias antes do início da Copa do Mundo na Rússia, Infantino não afirmou categoricamente que o Catar tem o direito de vetar a ampliação, mas disse ser "absolutamente" injusto impôr a mudança a um país que se preparou para receber 32 seleções.

Leia também:
Catar e Japão participarão da Copa América de 2019
Poder de influência do Catar fragilizado por escândalos
Relatório diz que Teixeira favoreceu Catar na Copa do Mundo de 2022
Catar gasta $500 milhões de dólares por semana na preparação para Copa-2022

"É evidente que o Catar precisará estar de acordo", completou o presidente da Fifa a jornalistas em Zurique.

Infantino é a favor da Copa do Mundo com 48 seleções desde que assumiu o comando da Fifa há dois anos. O presidente julga "interessante estudar" a proposta da Confederação Sul-Americana (Conmebol) de adiantar em quatro anos a implementação da mudança.

Os membros da Fifa se reunirão na Rússia na próxima semana para decidir se a opção de uma Copa-2022 com 48 seleções merece uma análise mais profunda.

Segundo o presidente Infantino, é prematuro especular sobre esta hipótese: "Temos um contrato com os catarianos. Eles ganharam um Mundial de 32 equipes. Os contratos são feitos para serem respeitados", completou.

Veja também

Brasil se impõe e goleia Peru em noite de testes de Tite
Copa América

Brasil se impõe e goleia Peru em noite de testes de Tite

Triênio e remuneração dos gestores: Conselho do Náutico propõe mudanças no Estatuto
Futebol

Triênio e remuneração dos gestores: Conselho do Náutico propõe mudanças no Estatuto