Cenário com perspectiva duvidosa para o Santa Cruz em 2019

Para amenizar a crise, Santa busca patrocinador máster e parcerias que o ajudem a respirar financeiramente na temporada do próximo ano

Constantino JúniorConstantino Júnior - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

 

A crise financeira no Arruda traz duvidosas perspectivas para a temporada 2019. Para amenizar a dura realidade, o Santa Cruz busca um patrocinador máster e parcerias que o ajudem a respirar. Sem receita, o cofre está vazio e, consequentemente, causa desespero interno por conta dos salários atrasados – jogadores não recebem há três meses (julho, agosto e setembro) e os funcionários têm cinco folhas em aberto (maio, junho, julho, agosto e setembro). A prioridade é saldar os débitos até o fim deste ano, segundo a promessa do Núcleo de Gestão Administrativo e Financeiro do clube.

Leia também: 

Núcleo de Gestão do Santa promete encerrar 2018 em dia 

Santa Cruz busca patrocinador master para a temporada 2019 

Financeiro do Santa estipula aumento da folha salarial para 2019 

O departamento financeiro aguarda o recebimento das primeiras parcelas da cota de participação da fase de grupos da Copa do Nordeste e da verba do Campeonato Pernambucano 2019. Com esses recursos, parte dos salários em atraso será quitada. Para arrecadar fundos, o programa de sócios “Tricolor de Coração” tenta angariar torcedores para aumentar o quadro de associados, atualmente com cerca de 2.000 pessoas adimplentes no sistema.

Por austeridade financeira, o Santa tem repetido estratégias utilizadas este ano no planejamento para 2019: redução dos departamentos de futebol e administrativo, teto salarial limitado para não extrapolar o orçamento e busca por reforços sem grife.

 

Veja também

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada
Handebol

Eslovênia acusa comitê organizador do Mundial de Handebol de servir comida estragada

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno
Sport

Com 21% de chance de queda, Sport encara sequência que lhe deu apenas quatro pontos no 1º turno