Centroavante Neto Costa revela relação familiar com o Santa

Atacante recém-contratado tem primos e tios que torcem pelo Santa Cruz, além de ser nordestino. O garoto de 21 anos iniciou a carreira no futebol na Paraíba

Neto Costa estava na Ponte Preta/SP e também atuou no Cianorte/PR na temporada 2018Neto Costa estava na Ponte Preta/SP e também atuou no Cianorte/PR na temporada 2018 - Foto: Santa Cruz/Jota Santana

Apresentado oficialmente na tarde desta quinta-feira (20) como novo reforço do Santa Cruz para a temporada 2019, o atacante Neto Costa tem motivos de sobra para estar entusiasmado. O garoto de 21 anos revelou que tem familiares apaixonados pelo clube e contou sobre a relação, em entrevista coletiva. O detalhe é que o recém-contratado nasceu no Nordeste, em São José dos Ramos, na Paraíba.

“Tenho primos, tios que torcem para o Santa. Tenho consciência do peso da camisa. Os familiares pesaram para a minha vinda e já mandaram eu corresponder. Tenho que dar a vida dentro de campo senão eles mesmos me colocam para fora (risos). Mas sei da minha qualidade e que sou capaz de ajudar, quem sabe fazendo minha história aqui”, declarou.

Leia também: 

Treino do Santa tem presença de Neto Costa, sétimo reforço 

Leston vê Santa bem servido no ataque com Pipico e Neto Costa 

Os primeiros passos de Neto Costa no futebol foram na região Nordeste, onde também atuou profissionalmente. Nesta temporada, ele jogou no Cianorte/PR e na Ponte Preta/SP (Série B), realizando um total de 22 jogos e marcando apenas três gols.

“Comecei minha carreira no Sub-15 do CSP da Paraíba, de lá fui para o Cerâmica/RS e joguei no profissional com 17 anos. Retornei para o Nordeste e depois fui para o Atlético/MG, onde fiz parte do time Sub-20. Também passei por Capivariano/SP, Cianorte/PR e Ponte Preta/SP, até chegar no Santa Cruz. Desde 2015 não atuo na região, mas sei da responsabilidade de vestir essa camisa”, contou.

O atacante chegou ao Arruda para disputar posição com o Pipico, artilheiro do Santa na Série C, com seis gols em nove partidas. “Eu sou mais um jogador de referência. O Pipico é de mobilidade, sai mais da área. Respeito muito ele e sei do seu valor no clube, a rodagem que tem no futebol. Vai ser uma briga sadia, algo bom para o clube contar com essas duas peças à disposição”, pontuou.

Veja também

Líder da Série B, Náutico recebe Vila Nova nos Aflitos nesta terça (15)
Futebol

Líder da Série B, Náutico recebe Vila Nova nos Aflitos nesta terça (15)

Em carta de renúncia, Milton Bivar fala em "missão cumprida", dois meses após reeleição
Sport

Em carta de renúncia, Milton Bivar fala em "missão cumprida", dois meses após reeleição