A-A+

Futebol

Chamusca nega desconforto no clube e diz que não é momento de fazer cálculos para o G4

Náutico é o oitavo colocado da competição, com 35 pontos, nove abaixo do CRB, quarto colocado

Chamusca, técnico do NáuticoChamusca, técnico do Náutico - Foto: Tiago Caldas/CNC

Cinco jogos sem vencer. Seis consecutivos sem um triunfo nos Aflitos. Nove pontos de diferença para o CRB, quarto colocado e primeiro integrante do G4 da Série B do Campeonato Brasileiro 2021. O momento do Náutico é complicado. Piorou, após a derrota por 2x1 para o Londrina. A ponto de o técnico Marcelo Chamusca ser questionado se está preocupado com a permanência no cargo do Timbu. 

“Meu nível de desconforto é zero. Fui contratado para fazer o Náutico melhorar na tabela de classificação e sair de uma sequência de resultados negativos. Se a diretoria ou o presidente entenderem que o problema sou eu, vou seguir o meu caminho. O que estou fazendo para melhorar é trocar os jogadores, a forma de jogar. É isso que continuarei fazendo nos próximos jogos”, afirmou o treinador.

Com a derrota, o Náutico continuou na oitava posição, com 35 pontos. Sobre os cálculos para retomar a briga pelo acesso, Chamusca foi taxativo.“O momento é difícil, com uma sequência de resultados ruins, além da performance em alguns jogos. Estamos oscilando muito, perdendo pontos importantes contra equipes que estão na parte de baixo da tabela. Essa é a hora de focar as energias em vencer e não fazer matemática para voltar ao G4. Se não vencer, não adianta. O momento é complicado, mas temos capacidade de reagir. Primeiro, é preciso vencer e, depois, pensar em algo melhor”, explicou.

Confira outros trechos da entrevista coletiva

Erros ofensivos

Faltou qualidade (diante do Londrina), competência para furar o sistema defensivo. No segundo tempo, finalizamos 19 vezes, quase o dobro do primeiro tempo. Mostramos aos jogadores a proposta do adversário, montando um plano de jogo para criar mais possibilidades, só que infelizmente eles nos marcaram bem e saíram com o resultado positivo.

Mudanças no time

Está difícil (encontrar formação ideal) e estamos tentando todas as possibilidades. Mexemos, criamos um plano de jogo, mudando a estrutura, mas está complicado. Utilizamos todos os jogadores possíveis do meio para frente. Estamos falhando sistematicamente na fase defensiva. Tomamos dois gols em situações que tínhamos a posse de bola e damos ao adversário. O Londrina não veio aqui para atacar o Náutico. Eles não atacam jogando fora de casa. Eles baixam as linhas, botam dois jogadores rápidos pelo lado, jogando pela segunda bola para armar o contra-ataque.

Avaliação dos jogos

Conseguimos, com autoridade, fazer um jogo bom contra o CSA. Em casa, depois, mostramos uma inoperância ofensiva diante do Guarani, mesmo jogando boa parte com um a menos. Isso me preocupou mais. Temos trocado, dado oportunidade a todos, testado todos os jogadores para melhorar nesse aspecto. Evoluímos, em algum momento, no aspecto defensivo, se equilibrando um pouco mais, com consistência defensiva. Nos últimos jogos, estamos errando muito na construção, proporcionando ao adversário possibilidades (de gols). 

Veja também

Após eliminação, Leston pede atenção na montagem do elenco para 2022
Futebol

Após eliminação, Leston pede atenção na montagem do elenco para 2022

Após eliminação da Copa do Nordeste, torcedores do Santa invadem gramado
Futebol

Após eliminação da Copa do Nordeste, torcedores do Santa invadem gramado