Chapecoense se decepciona com oferta dos que se mostraram dispostos a auxiliá-la

Passada a comoção pela tragédia, os “clubes solidários” começaram a oferecer jogadores caros, com a intenção de diminuir a folha salarial

Líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE)Líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE) - Foto: Roberto Stuckert Filho

 

“Clubes prometem emprestar jogadores para a Chapecoense”. Esse foi um dos vários títulos de reportagens que abordavam a futura contribuição das instituições brasileiras para reerguer o time catarinense, vítima de uma tragédia no fim de novembro - um acidente aéreo matou atletas e membros da comissão técnica que viajavam para Medellín, na Colômbia, onde a equipe disputaria a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional/COL. A solidariedade, porém, teve pormenores. O Verdão do Oeste ficou decepcionado com o que foi ofertado pelas equipes brasileiras. O que era para ser uma ajuda virou um negócio nada proveitoso para a Chape.
O técnico Vagner Mancini e o diretor-executivo Rui Costa já haviam alertado para uma mudança de postura das equipes que inicialmente não tinham colocado restrições quanto ao empréstimo de atletas. A reclamação é de que, passada a comoção pela tragédia, os “clubes solidários” começaram a oferecer jogadores caros, com a intenção de diminuir a folha salarial.

De acordo com o Blog do Rodrigo Mattos, do UOL, um atleta com salário de R$ 330 mil foi indicado para a Chapecoense - o clube tem um teto de R$ 100 mil para o elenco profissional. Além disso, os catarinenses apontaram que as sugestões oferecidas eram de atletas “pouco interessantes”.

Quando a Chape revelou desejo por algum garoto das divisões de base, a recomendação recebida foi a de que a negociação deveria ser tratada diretamente com os empresários. Uma postura que irritou o clube. “A ajuda só é bem-vinda quando alguém, de fato, quer ajudar”, disse o técnico.

A diretoria da Chapecoense tem enfatizado que não pediu por craques ou jogadores titulares das demais equipes. Boa parte das peças reivindicadas estava na reserva em 2016. Mesmo assim, a dificuldade ainda persiste. Por exemplo, os catarinenses solicitaram ao Grêmio os empréstimos do goleiro Bruno Grassi, do zagueiro Rafael Thyere e do volante Jaílson. Nenhum foi cedido. O Tricolor liberou outro atleta, o volante Moisés.

Atlético-MG, Atlético-PR, Cruzeiro, Fluminense, Palmeiras e São Paulo, segundo indica Mattos, estariam na lista de exceções - clubes que tem ajudado a Chape sem ressalvas. A Chapecoense tenta acelerar as negociações no final do ano para ter um elenco completo em 2017.

De acordo com Vagner Mancini, mais de dez atletas estão próximos de um acerto. Além das competições estaduais e nacionais, o Verdão do Oeste disputará a Libertadores no ano que vem.

Visita
O xeque Hamad Bin Khalifa Bin Ahmad Al Thani, que visitou a Chapecoense no último fim de semana, convidou o clube para um torneio internacional sub-17. A competição ocorrerá em janeiro, no Catar. Al Thani é presidente da Federação do Qatar de Futebol.

 

Veja também

PSG quer renovar com Mbappé, mas já sondou Kane e Salah, diz jornal
Futebol Internacional

PSG quer renovar com Mbappé, mas já sondou Kane e Salah, diz jornal

Após goleada, Guilherme dos Anjos vê margem para Náutico seguir evoluindo
Náutico

Após goleada, Guilherme dos Anjos vê margem para Náutico seguir evoluindo