Chapecoense segura San Lorenzo e avança à final da Sul-Americana

Clube catarinense conseguiu um empate por 0x0, e avançou na regra dos gols marcados fora de casa

Lorena Queiroz, protagonista de 'Carinha de Anjo'Lorena Queiroz, protagonista de 'Carinha de Anjo' - Foto: divulgacao

A Chapecoense fez história nesta quarta-feira (23) ao se classificar para a grande final da Copa Sul-Americana, com empate sem gols em casa diante do tradicional San Lorenzo, depois do 1x1 da partida de ida, na Argentina.

Diante de sua torcida, que fez uma linda festa na Arena Condá, o time catarinense ignorou o peso da camisa do clube de coração do Papa Francisco e jogou como time grande, com muita garra e personalidade.

O Verdão do Oeste, que há dez anos ainda jogava na Série D do Brasileirão, já tinha eliminado outro gigante argentino nas oitavas de final, o Independiente, recordista de títulos na Libertadores (7), antes de passar pelo Junior Barranquilla nas quartas.

Herói da disputa de pênaltis épica contra o Independiente, o goleiro voltou a ser protagonista, com uma defesa milagrosa no último minuto de jogo.

O time catarinense disputará o título com o vencedor do confronto entre o Cerro Porteño, do Paraguai, e o Atlético Nacional, da Colômbia, que se enfrentam nesta quinta-feira, em Medellín.

A equipe colombiana, que busca a "dobradinha" depois de conquistar a Copa Libertadores, leva vantagem por ter empatado em 1x1 no primeiro jogo, em Assunção.

GOL ANULADO

Mesmo podendo se classificar com o empate sem gols, a Chape assumiu logo as rédeas da partida. Apesar de mostrar certo nervosismo nos primeiros minutos, o time catarinense conseguia manter a bola longe da sua área, com bom toque de bola e marcação para dificultar a saída argentina.

Já em polvorosa, a torcida foi à loucura aos sete minutos de jogo, quando Tiaguinho aplicou um lençol espetacular para se livrar de dois marcadores.

O San Lorenzo mostrou, porém, que o peso da sua camisa precisa ser levado a sério ao apresentar perigo no primeiro erro cometido pela Chape. Aos 19, o time perdeu a bola no meio, e Mas exigiu boa defesa de Danilo no contra-ataque.

Passado o susto, a torcida soltou o grito de gol, aos 25, mas foi frustrada poucos segundos depois, quando o juiz marcou impedimento de Thiago, que escorou para as redes em cobrança de falta.

Depois da bola parada, a Chape tentou a sorte com o chute de longa distância, aos 31, com Ananias soltando uma bomba que quase surpreendeu o goleiro Torrico.

DANILO SALVA COM O PÉ

O San Lorenzo voltou de forma mais contundente depois do intervalo, com o técnico Diego Aguirre colocando o atacante Nico Blandi no lugar do meia Corujo. Blandi mostrou logo a que veio aos 5 minutos do segundo tempo, quando viu Danilo adiantado e arriscou quase do meio do campo, obrigando o goleiro a se esticar todo para espalmar.

Os visitantes voltaram a ameaçar aos 18, com Mas cabeceando na trave após Danilo errar a saída em cruzamento de Mussis.

Caio Júnior resolveu mexer no time aos 23, tirando Tiaguinho para a entrada de Lucas Gomes, que por muito pouco não abriu o placar dois minutos depois, com um chutaço que Torrico defendeu.

O lance acordou a torcida, que vinha assustada com o sufoco passado pela Chape no início do segundo tempo. O jogo começou a ficar cada vez mais tenso com o passar do tempo, e Caio Júnior não parava de levantar os braços na beira do gramado para pedir o apoio do público.

Blandi quase acabou com o sonho nos acréscimos, mas Danilo fez defesa milagrosa com o pé, mandando o time do Papa para casa e mantendo vivo o sonho de glória do Verdão do Oeste.

FICHA DO JOGO

CHAPECOENSE

Danilo – Caramelo, Neto, William Thiego, Dener - Josimar, Gil (Sergio Manoel, 81) - Thiaguinho (Lucas Gomes, 65), Cleber Santana, Ananias - Kempes (Bruno Rangel, 76). T: Caio Júnior.

SAN LORENZO

Sebastián Torrico - Marcos Angeleri, Fabricio Coloccini, Matías Caruzzo (Paulo Díaz, 82), Emmanuel Mas - Mathías Corujo (Blandi, 46), Franco Mussis (Exequiel Ávila, 91), Néstor Ortigoza, Sebastián Blanco - Ezequiel Cerutti e Martín Cauteruccio. T: Diego Aguirre.

Estádio: Arena Condá
Público: 17.569 espectadores.
Árbitro: Daniel Fedorczuk. Asistentes: Miguel Nievas y Richard Trinidad (trio uruguaio).
Cartões amarelos: Chapecoense: Gil (56), Cleber Santana (86), Josimar (90+3) / San Lorenzo: Angeleri (57), Caruzzo (70), Blandi (87), Néstor Ortigoza (89)

Veja também

Santa Cruz estende o contrato de três jogadores até o fim da Série C
Futebol

Santa Cruz estende o contrato de três jogadores até o fim da Série C

Martelotte e dois jogadores do Santa Cruz testam positivo para a Covid-19
Futebol

Martelotte e dois jogadores do Santa Cruz testam positivo para a Covid-19