Esportes

Chefe de milícia entra na Confederação Africana de Futebol

Candidatura de Ngaissona recebeu 30 votos, gabonês Pierre Alain Moungueng teve 23

Patrice Edouard Ngaissona é o atual presidente da Federação Centro-Africana de FutebolPatrice Edouard Ngaissona é o atual presidente da Federação Centro-Africana de Futebol - Foto: Fadel Senna/AFP

Patrice Edouard Ngaissona, chefe das "milícias anti-Balaka", um grupo armado da República Centro-Africana, foi eleito nesta sexta-feira membro do Comitê Executivo da Confederação Africana de Futebol (CAF), depois do voto da assembleia geral da entidade, reunida em Casablanca.

A candidatura de Ngaissona recebeu 30 votos, enquanto 23 foram para o gabonês Pierre Alain Mounguengui, que também disputava o assento reservado à zona central da África (República Centro-Africana, Camarões, Congo, Gabão, Chade, Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe) na CAF.

Ngaissona, atual presidente da Federação Centro-Africana de Futebol, se levantou sorridente após a contagem de votos e foi parabenizado pelos companheiros.

As milícias anti-Balaka fizeram parte da crise que sacudiu a República Centro-Africana entre 2013 e 2015.

Patrice Edouard Ngaissona não pôde participar das eleições presidenciais em seu país em 2015 devido às acusações sobre seu papel ativo nessas violentas revoltas.

Veja também

Sport: Soso vê "respostas coletivas" em empate com América-MG e reafirma compromisso com o acesso
Sport

Sport: Soso vê "respostas coletivas" em empate com América-MG e reafirma compromisso com o acesso

Retrô vence Juazeirense com gol nos acréscimos, e se classifica para a próxima fase Série D
Série D

Retrô vence Juazeirense com gol nos acréscimos, e se classifica para a próxima fase Série D

Newsletter