Chefe de milícia entra na Confederação Africana de Futebol

Candidatura de Ngaissona recebeu 30 votos, gabonês Pierre Alain Moungueng teve 23

Patrice Edouard Ngaissona é o atual presidente da Federação Centro-Africana de FutebolPatrice Edouard Ngaissona é o atual presidente da Federação Centro-Africana de Futebol - Foto: Fadel Senna/AFP

Patrice Edouard Ngaissona, chefe das "milícias anti-Balaka", um grupo armado da República Centro-Africana, foi eleito nesta sexta-feira membro do Comitê Executivo da Confederação Africana de Futebol (CAF), depois do voto da assembleia geral da entidade, reunida em Casablanca.

A candidatura de Ngaissona recebeu 30 votos, enquanto 23 foram para o gabonês Pierre Alain Mounguengui, que também disputava o assento reservado à zona central da África (República Centro-Africana, Camarões, Congo, Gabão, Chade, Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe) na CAF.

Ngaissona, atual presidente da Federação Centro-Africana de Futebol, se levantou sorridente após a contagem de votos e foi parabenizado pelos companheiros.

As milícias anti-Balaka fizeram parte da crise que sacudiu a República Centro-Africana entre 2013 e 2015.

Patrice Edouard Ngaissona não pôde participar das eleições presidenciais em seu país em 2015 devido às acusações sobre seu papel ativo nessas violentas revoltas.

Veja também

Liga Europa começa com Milan e Tottenham na briga pelo título
Futebol

Liga Europa começa com Milan e Tottenham na briga pelo título

Rafael Ribeiro será emprestado ao Fluminense em 2021
Futebol

Rafael Ribeiro será emprestado ao Fluminense em 2021