Clássico das Emoções que vale muito: na bola e nos cofres

Santa Cruz e Náutico protagonizam confronto inédito pela Copa do Brasil em duelo que promete apimentar ainda mais rivalidade

Depois do empate por 2x2 com o Santa, Timbu entra em campo pela Copa do BrasilDepois do empate por 2x2 com o Santa, Timbu entra em campo pela Copa do Brasil - Foto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco

São mais de 500 embates no currículo. Desde o primeiro, em 1917, Santa Cruz e Náutico travaram uma disputa centenária com jogos marcantes pelo Campeonato Pernambucano e outras competições nacionais. Aflitos e Arruda já foram palcos de finais, além de confrontos valendo acesso. Com tantas histórias já contadas, era difícil imaginar que o Clássico das Emoções teria a força de um ineditismo para apimentar ainda mais a rivalidade. Eis que 2019 trouxe esse presente. Pela primeira vez, Timbu e Cobra Coral se encontrarão pela Copa do Brasil. Um clássico que vale muito. Na bola e nos cofres.

Ninguém pode dizer que faltou oportunidade para que o Clássico das Emoções acontecesse anteriormente pelo mata-mata nacional. Nos últimos anos, Santa Cruz e Náutico quase se encontraram por duas vezes, justamente na segunda fase. Em 2016, a Cobra Coral fez sua parte e eliminou o Rio Branco/AC na estreia. Já o rival decepcionou e caiu logo de cara para o Vitória da Conquista/BA. Ano passado, papeis invertidos. Os alvirrubros levaram a melhor perante o Cordino/MA, mas os tricolores foram desclassificados pelo Fluminense/BA. Neste ano, o Timbu eliminou o Imperatriz/MA em um empate por 1x1 no Frei Epifânio - no regulamento da Copa do Brasil, o time visitante tinha a vantagem do empate para passar de fase. Já o coirmão derrotou o Sinop/MT por 2x1, no Gigante do Norte. A competição não tem mais jogo da volta nesta etapa.

Em âmbito nacional, os clubes já se enfrentaram 33 vezes. Foram 17 pela Série A, 14 pela Série B e duas pela Série C. São 15 vitórias do Santa Cruz, nove do Náutico e nove empates. Desses confrontos, 17 foram no Arruda e 16 nos Aflitos. Com o mando de campo do Tricolor, são 10 vitórias dos mandantes, um empate e seis triunfos dos visitantes. Nos Aflitos, os alvirrubros ganharam três vezes, empataram oito e sofreram cinco derrotas.

A vaga à terceira fase da Copa do Brasil será disputada em jogo único, no Arruda. A escolha pelo mando de campo foi definida no sorteio da primeira fase da competição. Diferente do regulamento da etapa inicial, o Náutico não terá a vantagem do empate para se classificar, como foi perante os maranhenses. Agora, em caso de igualdade no placar nos 90 minutos, o clube que avançará no mata-mata será definido nas penalidades.

Mais do que a gozação em cima do rival, um triunfo trará um alívio importante no bolso dos pernambucanos. Quem avançar na Copa receberá R$ 1.450.000. Ao chegar nesta fase, Santa e Náutico já garantiram R$ 1.150.000 (R$ 525 mil pela participação e R$ 625 mil pela classificação inicial). Vale dizer, porém, que os clubes não recebem a cota integral. O valor sofre um decréscimo por conta de descontos envolvendo pagamentos pelo direito de Arena, INSS, Federação Pernambucana de Futebol (FPF) e Justiça do Trabalho. A redução pode superar os 30% da verba de premiação. Ainda assim, a quantia restante será crucial para ajudar nos vencimentos de atletas e funcionários, podendo impulsionar também mais contratações para o segundo semestre. Um reforço importante para uma dupla que está na Série C, divisão que não tem cota de televisionamento.

Leia também:
Acusado de agredir repórter, Juninho nega e ironiza situação
Wallace treina e reforça Náutico contra o Santa

Veja também

Plantel do Osasco registra oito casos da Covid-19
Vôlei

Plantel do Osasco registra oito casos da Covid-19

Surto de covid-19 obriga Cabo Verde a desistir de Mundial de Handebol
Handebol

Surto de covid-19 obriga Cabo Verde a desistir de Mundial de Handebol