Clássico para recuperar protagonistas de Náutico e Santa

Jorge Henrique ainda não balançou as redes pelo clube; Pipico aguarda sequência de jogos para recuperar bom futebol

Pipico tem presença garantida no time do SantaPipico tem presença garantida no time do Santa - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

São nos grandes jogos que os craques costumam aparecer. Pré-requisito, inclusive, para que ganhem a alcunha. A expectativa é maior sempre nos ombros daqueles que já provaram que podem fazer a diferença. Na véspera do Clássico das Emoções, nos Aflitos, pela Copa do Nordeste, Náutico e Santa Cruz possuem dois atletas com condições de decidir uma partida deste porte, embora o momento atual não seja dos melhores. No Timbu, Jorge Henrique segue zerado em gols. No Tricolor, Pipico ficou um longo tempo fora dos gramados por conta de lesão e tem a chance de retomar o bom futebol logo diante do rival.

Jorge Henrique nunca foi um goleador nato. Sua função era a de preparar as jogadas. No Náutico, atuando como meia, o atleta chegou justamente para melhorar o setor de criação do clube. O problema é que ele ainda não conseguiu ser o “10” que o Timbu aguarda. O posicionamento mais recuado não tem surtido efeito. Em muitas situações, o antigo prata da casa alvirrubro tem funcionado mais como um volante, ajudando na marcação, do que como o cérebro do time.

Por mais que o atleta não demonstre ansiedade, a pressão pelo jejum de gols pesa nas avaliações de seu desempenho. Aos 36 anos, o meia tem experiência de sobra para suportar a cobrança. Para os supersticiosos, vale acreditar que a “lei do ex ” vai prevalecer no sábado - Jorge já defendeu o Santa Cruz, em 2006.

“Jorge tem um currículo vencedor. Está fazendo uma função de armação e nós sabemos de sua capacidade. O atleta pode render mais. Ele já usou outras grandes camisas que tinham muita cobrança e tenho certeza que ele nos ajudará ainda”, afirmou o técnico Márcio Goiano.

O caso de Pipico é diferente do de Jorge Henrique. Veterano em seu elenco, a exemplo do alvirrubro, o que vem complicando o atacante tricolor em 2019 é a sua condição física. No ano passado, o centroavante foi a grande surpresa da reta final da Série C, quando marcou seis gols em nove jogos, garantindo sua permanência para a atual temporada. Entretanto, uma lesão sofrida na coxa esquerda o impediu de fazer uma sequência de jogos com a equipe neste ano.

Recuperado recentemente, Pipico jogou por pouco mais de 30 minutos contra o ABC, no sábado passado, e entrou de titular na última quarta-feira, contra o Petrolina. Quando, enfim, se esperava que o atleta correspondesse às expectativas, mais frustração. Ainda no primeiro tempo, o jogador foi expulso. Como o jogo foi pelo Campeonato Pernambucano, o goleador não cumprirá suspensão contra o Náutico e poderá entrar de frente novamente.

Para o técnico Leston Júnior, por mais que o atacante esteja em condições de atuar, ainda é preciso cautela na hora de escalá-lo. "Em relação à condição física, temos que ter um direcionamento estratégico com o Pipico. Nós precisamos começar a colocá-lo para dar rodagem a ele para que chegue no ponto do grupo que está jogando desde janeiro", avaliou o comandante coral.

Leia também:
Ingressos à venda para Náutico x Santa Cruz
Leston Júnior exalta organização do Santa e mostra prudência
Wallace celebra momento, mas nega meta de gols

Veja também

Chapas lançam candidaturas à presidência do Santa Cruz
Futebol

Chapas lançam candidaturas à presidência do Santa Cruz

NBA rende homenagens a Kobe Bryant
Basquete

NBA rende homenagens a Kobe Bryant