Racismo

Clube gaúcho é denunciado por racismo após torcedor chamar jogador adversário de "negro de merda"

Guarani-RS vai responder por ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito de raça ou cor

O lateral-direito Júlio César, do São Paulo de Rio Grande, foi alvo de ofensas racistas por torcedor do Guarani-RSO lateral-direito Júlio César, do São Paulo de Rio Grande, foi alvo de ofensas racistas por torcedor do Guarani-RS - Foto: Reprodução

A Procuradoria do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJD-RS) denunciou o Guarani, de Venâncio Aires, que disputa a segunda divisão do Campeonato Gaúcho, por um episódio de racismo em partida contra o São Paulo, de Rio Grande. O clube foi responsabilizado pelo ato de um torcedor que chamou um atleta do adversário de "negro de merda" durante jogo disputado no último dia 20.

O alvo da ofensa foi o lateral-direito Júlio César. O insulto ocorreu aos 42 minutos do segundo tempo, proferido por um torcedor do rival que estava na arquibancada. Segundo o São Paulo, o agressor foi identificado, e a vítima registrou um boletim de ocorrência na Brigada Militar. O clube também entregou imagens do ocorrido aos policiais.

"É uma tristeza sem tamanho que este tipo de comportamento ainda exista nos estádios e em nossa sociedade, mas só será possível combater com ações firmes e contundentes", disse o clube por meio de nota na ocasião.

O julgamento está marcado para 4 de maio. De acordo com a denúncia, o Guarani vai responder por ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito de raça ou cor, conforme dispõe o artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

O clube pode ser multado em até R$ 100 mil, e os torcedores identificados poderão ser proibidos de frequentar estádios pelo prazo mínimo de 720 dias. O Guarani também pode perder o mando de campo.

Na época do fato, o Guarani afirmou que o caso estava sendo apurado e afirmou que tomaria as medidas cabíveis contra o agressor.

"O clube reforça que fará todos os esforços para ajudar a esclarecer os fatos e os responsáveis por eles. Caso houver a comprovação da culpa de algum torcedor, serão tomadas as medidas cabíveis para com o identificado como agressor e causador da violência contra o atleta adversário", dizia a nota.

Os casos de racismo vêm aumentando em partidas de clubes brasileiros. Somente nesta semana, houve quatro episódios envolvendo Corinthians, Bragantino, Palmeiras e Flamengo pela Libertadores. No mais recente, um torcedor do Universidad Católica foi flagrado imitando um macado em direção à torcida rubro-negra, que também foi atingida por pedras, sinalizadores e garrafas. Uma criança e um idoso ficaram feridos.

Após as situações, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) divulgou um comunicado nesta sexta-feira no qual reconheceu que atualmente é possível identificar os autores das ofensas e prometeu que "conduzirá mudanças" para intensificar as punições.

Veja também

Bia Haddad mantém posição no ranking e será cabeça de chave em Paris-2024
Tênis

Bia Haddad mantém posição no ranking e será cabeça de chave em Paris-2024

Yan Couto, lateral da seleção brasileira, está na mira do Borussia Dortmund, diz jornal espanhol
Futebol

Yan Couto, lateral da seleção brasileira, está na mira do Borussia Dortmund, diz jornal espanhol

Newsletter