Clubes das Séries A e B se reúnem com CBF em busca de auxílio financeiro

Clubes também querem suporte da entidade, assim como aconteceu com as equipes das Séries C e D

Edno Melo (à esq) e Diógenes Braga (à dir)Edno Melo (à esq) e Diógenes Braga (à dir) - Foto: Léo Lemos/Náutico

Após a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgar um auxílio financeiro aos clubes das Série C e D, com cada instituição embolsando R$ 200 mil, os representantes das Séries A e B vão se reunir nesta terça (7) com a entidade para também tentar solicitar um suporte, ajudando a sanar os prejuízos causados pela paralisação do futebol no Brasil, provocada pela pandemia do novo coronavírus. Vale citar que, para os times da Segundona, a CBF informou que adiantaria o valor de R$ 600 mil, referente à cota de televisionamento. Medida que não agradou o presidente do Náutico, Edno Melo.

"Não vejo vantagem. Inclusive, é um problema antecipar receita porque isso pode fazer falta lá na frente. O ideal seria receber uma ajuda, assim como os clubes das séries C e D. O correto seria esse benefício ser ampliado para B e A", afirmou. Em princípio, o Timbu não pretende utilizar a verba adiantada pela entidade máxima do futebol nacional.

Enquanto os 20 clubes da Série C receberão R$ 200 mil cada, totalizando R$ 4 milhões, as 68 equipes da Série D vão embolsar R$ 120 mil cada uma, num total de quase R$ 8,2 milhões disponibilizados. Neste grupo, encontra-se três times pernambucanos: Afogados, Central e Salgueiro disputarão a última divisão do futebol nacional, e a ajuda chega em um momento importante. Nos últimos dias, as equipes do Interior vêm relatando dificuldades para manter as contas em dia. Em março, eles chegaram a pedir o cancelamento do Estadual por não terem condições de arcar com os salários dos jogadores caso a competição seja estendida. Dispensa de atletas e perda de patrocínios tem sido algo recorrente entre os interioranos.

Leia também:
CBF auxiliará séries C e D, e pernambucanos serão beneficiados
Árbitros pernambucanos expõem dificuldades em meio à pandemia


No feminino, na Série A1, R$ 1,9 milhão será dividido entre 16 instituições, com auxílio de R$ 120 mil para cada, e no Brasileiro A2 os 36 times vão ganhar R$ 50 mil cada um. Representantes do Estado na Segunda Divisão, Náutico e Sport serão contemplados.

Além do auxílio aos times das divisões inferiores do futebol nacional, a CBF já havia resolvido isentar os clubes da taxa de registro e transferência de atletas. Espera-se uma economia de R$ 4 milhões em três meses com o adotado. Os árbitros do quadro nacional serão ajudados com R$ 900 mil para ser dividido entre eles.

Veja também

Simone Biles não vai competir nas barras e no salto, especialidade de Rebeca
Jogos Olímpicos

Simone Biles não vai competir nas barras e no salto, especialidade de Rebeca

Bruno Fratus passa à final dos 50m livre na natação
Jogos Olímpicos

Bruno Fratus passa à final dos 50m livre na natação