Com 3 de Copete, Santos aumenta aflição do São Paulo

O colombiano foi o nome do jogo na vitória santista. Time do Morumbi vive situação difícil no Nacional

Santos abriu 3x0, o tricolor diminuiu, mas não evitou derrotaSantos abriu 3x0, o tricolor diminuiu, mas não evitou derrota - Foto: Diego Soares/Codigo19/Folhapress

O atacante Jonathan Copete estava atento para aproveitar a primeira falha capital do clássico. O goleiro Renan Ribeiro deu rebote, e o colombiano estufou a rede. Foi o primeiro de seus três gols na vitória do Santos por 3x2 sobre o São Paulo, neste domingo (9), na Vila Belmiro. Na comemoração, Copete tirou a camisa do time e também uma segunda peça, de manga longa, que vestia. Para câmeras e torcida, exibiu em seu abdômen largas cicatrizes de queimaduras sofridas em acidente doméstico.

Com a derrota, o São Paulo será entregue a Dorival Júnior como o penúltimo colocado, à frente só do Atlético/GO, seu próximo adversário. Sob a orientação do auxiliar Pintado, o time se mostrou competitivo na marcação, não permitiu muitas chances ao rival, mas caiu por conta de deslize individual. O demitido Rogério Ceni conhece bem este filme. O time do Morumbi completa sete jogos sem triunfo.

A principal medida de Pintado foi afastar Christian Cueva, com aval da diretoria. De trunfo, o meia passou a ser questionado por suposta falta de comprometimento. Nem viajou com o elenco, ao contrário de Rodrigo Caio, assediado pelo russo Zenit. Se o peruano foi deixado de lado, o time teve a estreia de outros dois sul-americanos: o zagueiro equatoriano Robert Arboleda e o meia argentino Jonatan Gómez. No total, Pintado escalou cinco estrangeiros, o limite permitido pelo Brasileiro.

Em campo, seu time se postou de modo mais recuado, em geral com apenas Lucas Pratto adiantado para tentar incomodar a saída de bola. Sem a bola, o Santos procurava povoar o campo ofensivo. A diferença de postura condizia com a situação das equipes na tabela.

O Santos entrou em campo mais leve, já com seu posto na zona de classificação para a Libertadores assegurado. Acuado, o São Paulo já sabia que havia sido ultrapassado por Vitória e Avaí. Não que o time da casa fosse muito incisivo, contudo. Não havia muitos espaços para investidas de Lucas Lima.

Desse modo, aos poucos, os visitantes começaram a se soltar. Mas sem progredir com a bola, apostando em longos cruzamentos, problema crônico no campeonato. Vanderlei, o goleiro santista, era pouco acionado. Aos 44 min do primeiro tempo, do outro lado, chegou a hora de Renan trabalhar. Copete tocou para Kayke na quina da grande área. O centroavante limpou e bateu. Um chute firme, mas defensável. O são-paulino não conseguiu controlar a bola, e Copete surgiu para o arremate.

Na segunda etapa, empolgado, o colombiano aproveitou cruzamentos precisos de Kayke e Jean Mota para agravar o flagelo são-paulino. Quando a fase é ruim, até Lucas Pratto desperdiça um pênalti, aos 25 minutos. Coube, então, ao garoto Shaylon descontar, cinco minutos depois. O estreante Arboleada ainda marcou o segundo, aos 41 minutos, aproveitando sobra na área.

Pela 13ª rodada, o Santos vai a Belo Horizonte para encarar o Atlético/MG, na quarta (12). O São Paulo recebe o Atlético-GO na quinta (13). Suspenso, Copete tem tempo suficiente para cicatrizar. Não é o caso do São Paulo.

Veja também

Às vésperas de decisões dentro e fora de campo, Nei Pandolfo tenta construir elenco de 2021
Santa Cruz

Às vésperas de decisões dentro e fora de campo, Nei Pandolfo tenta construir elenco de 2021

Bandeira e outros dez viram réus por incêndio no CT do Flamengo
Incêndio no Ninho

Bandeira e outros dez viram réus por incêndio no CT do Flamengo