Com apenas dois atletas garantidos, Afogados tenta fazer acordos

Demais jogadores do elenco do time sertanejo têm seus vínculos encerrados nesta quinta-feira

Atletas do AfogadosAtletas do Afogados - Foto: Divulgação

Grande destaque da temporada no futebol pernambucano, o Afogados não mergulhou em uma crise financeira, mas vê o contrato com seus jogadores encerrados nesta quinta-feira (30). As únicas exceções são o goleiro Everton e o lateral-direito Matheus Serra, que possuem contrato até setembro. A diretoria da Coruja, no entanto, está buscando acordos verbais para tentar a manutenção de alguns atletas.

“Estamos em contato com alguns atletas para, quando o campeonato voltar, retornarem à equipe. Diante da situação complicada devido ao coronavírus, os próprios atletas estão vindo em busca da gente. Estamos fazendo tudo de acordo com o que a CBF e a Federação Pernambucana orientou e por isso deixamos os contratos vencerem”, afirmou Josinaldo dos Anjos, vice-presidente do Afogados.

Dois dos nomes que já possuem acordos verbais para permanecer na equipe pernambucana são Candinho e Diego Ceará, destaques do Afogados na temporada. Josinaldo informou ainda que o clube já estava acertado com o zagueiro Walter Guimarães, revelado pelo Santa Cruz, antes da pandemia da Covid-19. O atleta defendeu a Juazeirense neste ano e vem para um setor carente da equipe.

Contando com a manutenção de boa parte do elenco principal, o Afogados ainda permanece na busca de mais quatro a cinco atletas para o restante da temporada. O clube ainda tem o jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil, diante da Ponte Preta (perdeu o primeiro por 3x0), o Campeonato Pernambucano e o Brasileiro da Série D.

Leia também:
Afogados teme debandada caso Estadual não volte até abril
Afogados é atropelado pela Ponte e se complica na Copa do Brasil


A volta do futebol, no entanto, não deveria ser uma pauta urgente para Pernambuco, segundo o treinador Pedro Manta. “Não gostamos de ficar sem trabalhar, mas é por uma causa nobre. Infelizmente, vivemos uma pandemia e agora é necessário prudência. Não podemos voltar a jogar do jeito que as coisas estão em Pernambuco, é necessário preservar a vida. Iniciamos o planejamento para a volta do futebol, mas eu espero que esse retorno não ocorra agora. Nós não temos estrutura para isso”.

Veja também

Darlan Romani chega perto de novo, mas não vai ao pódio no arremesso de peso
Jogos Olímpicos

Darlan Romani chega perto de novo, mas não vai ao pódio no arremesso de peso

Assim como no feminino, Brasil não vai à final do revezamento 4 x 100 m masculino
Jogos Olímpicos

Assim como no feminino, Brasil não vai à final do revezamento 4 x 100 m masculino