SÉRIE B

Com gol nas três vitórias consecutivas, Caio Dantas deslancha no Náutico

Atacante sofreu com problemas físicos e vem sendo fundamental no bom momento do Timbu

Caio Dantas, centroavante do NáuticoCaio Dantas, centroavante do Náutico - Foto: Tiago Caldas/CNC

Leia também

• Náutico anuncia contratação do atacante Caio Dantas

• Caio Dantas não viaja com o grupo e desfalca Náutico diante do CSA

• Caio Dantas volta a sentir dores na coxa e não reforça Náutico diante do Botafogo

• Recuperado, Caio Dantas vira opção para Hélio dos Anjos contra Operário

• No retorno aos gramados, Caio Dantas recebe elogios de Hélio dos Anjos: "Foi maravilhoso"

Após um início difícil em sua passagem nos Aflitos, Caio Dantas enfim deslanchou pelo Náutico. Contratado com a responsabilidade de substituir Kieza, ídolo alvirrubro que rompeu o tendão de aquiles, o atacante contava com a pompa de ter sido artilheiro da Série B 2020 pelo Sampaio Corrêa.

O camisa 99 chegou ao Recife após ter passado sete meses sem entrar em campo de forma oficial. Deixou a Bolívia Querida em janeiro, antes do fim da Segundona, após acertar sua ida para o Guangzhou R&F, da China. Porém, o enrijecimento das restrições para a entrada de estrangeiros no paísn e sem contar com a liberação do governo local, sequer viajou à Ásia.

Em maio, acertou seu retorno ao Água Santa, do interior paulista, para a disputa do campeonato estadual, onde não conseguiu reestrear. O atacante sofreu com lesões e não foi inscrito no mata-mata da competição.  

Já no Náutico, chegou em agosto e realizou três partidas, com o time já dentro da má fase que culminou na saída do G4. Realizou sua estreia com a camisa alvirrubra diante do Sampaio Corrêa e atuou nas derrotas para Avaí e Cruzeiro, quando Hélio dos Anjos pediu demissão e deixou o Timbu.  Antes de sua saída, o treinador defendeu o atacante, que vinha sofrendo críticas pelo início apagado e afirmou que ele não deveria ser julgado por apenas três jogos.  

Após os três jogos, Caio sofreu uma lesão na musculatura posterior da coxa direita e foi desfalque por oito partidas, sem ao menos atuar com Marcelo Chamusca, que assumiu o Timbu após a saída de Hélio. Seu retorno foi diante do Operário, no Paraná, quando marcou o gol da virada alvirrubra e deu início a sequência de três vitórias seguidas vivida pelo time atualmente.

O atacante também marcou contra o Goiás, no triunfo por 3x2, nos Aflitos, e ante a Ponte Preta, no último sábado (16), quando o Náutico venceu pelo mesmo placar. Fundamental na retoma alvirrubra na Série B, a influência de Caio foi exaltada por Hélio.

“Quando Caio iniciou sua trajetória aqui, vinha de sete meses parado. Mesmo com todos os nossos cuidados, sabíamos que ele tinha um problema físico e consequentemente passaram a acontecer as contusões. Se preparou, cuidou, méritos do departamento médico, da preparação física. Hoje é um jogador completo, no sentido de estar bem preparado. É aquela história, caiu uma bola no pé dele, ele fez o gol. Taticamente ele foi muito importante e vai ser fundamental para o nosso futuro”, garantiu.

Veja também

Florentín destaca entrega do time e agradece apoio da torcida contra o FlamengoSport

Florentín destaca entrega do time e agradece apoio da torcida contra o Flamengo

Em jogo animado, Sport fica no empate com o Flamengo na ArenaCampeonato Brasileiro

Em jogo animado, Sport fica no empate com o Flamengo na Arena