Com mudanças no meio e no ataque, Dado espera time mais veloz

Treinador disse que modificações darão mais liberdade a Marco Antônio

Treinador colocou Nem e Erick na frenteTreinador colocou Nem e Erick na frente - Foto: Anderson Stevens

Após duas derrotas consecutivas, já era esperado que o técnico Dado Cavalcanti promovesse algumas mudanças no time titular do Náutico que entra em campo diante do Campinense, domingo (12), no Amigão, pela Copa do Nordeste. Mas desta vez as novidades não se limitaram à troca de peças. O treinador decidiu modificar sua formação tática, sacando um centroavante para aumentar o número de homens no meio-campo.

O Náutico treinou com Tiago Cardoso; Joazi, Ewerton Páscoa, Tiago Alves e Giovanni; João Ananias, Rodrigo Souza, Maylson e Marco Antônio; Jefferson Nem e Erick. Dado optou pelo 4-4-2, explorando a velocidade dos atacantes e reforçando o meio-campo, que antes tinha três jogadores. Com isso, quem perdeu a vaga no time principal foi o atacante Alison.

“A expectativa é ter um meio-campo mais cerebral, trabalhando mais com a bola no pé e dando qualidade no passe. Na frente teremos dois jogadores velocistas, que agridem e são bons no ‘um contra um’. A ideia é ter Marco Antônio com mais espaço para flutuar por dentro. Como ele tem bom passe, vamos deixá-lo mais próximo da área para achar os atacantes”, afirmou o técnico.

No lado do Campinense, o Náutico encontrará dois velhos conhecidos do clube: o técnico Sérgio China e o volante Negretti. O jogador, inclusive, iniciou a pré-temporada no Timbu, mas acabou voltando ao clube paraibano antes do início das competições do primeiro semestre.

“As trocas acontecem no futebol. Jogadores saem, passam outros...mas algumas coisas mudaram desde o primeiro momento que Negretti esteve conosco. Conheço também Sérgio China, meu amigo. Eles sabem como a gente se comporta, mas temos armas que eles não conhecem e torço para que elas possam fazer a diferença”, contou. “Será um jogo decisivo. Pela ordem, teremos dois jogos seguidos contra eles, com uma tendência de mata-mata. É importante sair com um bom resultado de lá”, completou.

Durante a semana, os atletas do Náutico colocaram em cima da ansiedade a culpa tantos pelos erros ofensivos como também na desatenção defensiva no jogo contra o Salgueiro. Um problema que o treinador acredita que pode ser sanado com o retorno de atletas mais experientes.

“Não podemos trazer um peso de um jogo para o que estamos fazendo em outros jogos. Aconteceu muito disso diante do Salgueiro. Tivemos ansiedade, tomamos o gol e tivemos mais ansiedade ainda. Mas não podemos trazer isso. Vamos com um time mais maduro, trazendo mais tranquilidade, algo que faltou no jogo passado. Teremos mais jogadores cascudos no próximo jogo para equilibrar esse sentimento”, argumentou.

Veja também

Pepê Gonçalves sofre três punições e fica fora da final na canoagem em Tóquio
Jogos Olímpicos

Pepê Gonçalves sofre três punições e fica fora da final na canoagem em Tóquio

Keno Marley perde luta e chance de conquistar primeira medalha olímpica
Jogos Olímpicos

Keno Marley perde luta e chance de conquistar primeira medalha olímpica