Esportes

Com pênalti na reta final, Santa arranca empate diante do Campinense

Depois de sair atrás, Tricolor ganhou 'bônus' e converteu, alcançando a segunda colocação do Grupo A no Nordestão

 

Sabe aquele empate que é lucro? Já seria assim para o Santa Cruz se o placar zerado, sustentado até os 39 minutos do segundo tempo, fosse mantido diante do Campinense, nesta quarta-feira (25), no Estádio Amigão, em Campina Grande, pela 1ª rodada do Grupo A da Copa do Nordeste 2017. Contudo, depois de levar um gol e conseguir empatar - de pênalti, com Léo Costa -, a igualdade mereceu as mais justas comemorações. Pouco inspirado, mas ‘iluminado’, o Tricolor terminou o duelo contra a Raposa no 1x1, e chegou à segunda posição da chave, com um ponto, atrás do Náutico, que soma três. O adversário paraibano segue empatado com a Cobra Coral na pontuação, enquanto o Uniclinic/CE ainda não saiu do zero. O próximo compromisso do time de Vinícius Eutrópio pelo torneio regional será o clássico contra o Timbu, no dia 4 de fevereiro, no Arruda.

Com a torcida a favor e mais acostumado ao castigado gramado, o Campinense demonstrou maior entrosamento durante todo o primeiro tempo - cabe ressaltar que o time já vinha disputando o Campeonato Paraibano -, impondo maior dinamismo ofensivo. Pelo lado do Santa Cruz, Vítor chegou com perigo no primeiro minuto de jogo, mas, depois, o ‘destaque’ ficou por conta de uma defesa atabalhoada. Especialmente o zagueiro Jaime, que deixou frequentes brechas no lado esquerdo, sobrecarregando a função de cobertura do lateral Eduardo, aproveitado das categorias de base. Também sacrificado, o goleiro Júlio César apareceu como principal ponto de segurança na equipe coral. O problema é que, quando o goleiro trabalha muito, algo está errado.

Na retomada do confronto, a ‘confusão’ defensiva diminuiu entre os tricolores, mas o problema não chegou a ser resolvido de fato. Sem compactação, o time coral teve dificuldades para estabelecer diálogo entre os setores, que apareceram distantes na distribuição da equipe.

A reta final, no entanto, foi digna de comemoração para os corais. Primeiro, fazendo jus ao retrospecto, o Campinense abriu o placar, aos 39 minutos, quando Lessinho cruzou para Augusto, que cabeceou para o gol. Na tentativa de corte, o zagueiro Bruno Silva marcou contra. Neste momento, a ‘justiça’ parecia consolidada. Mas, aos 43, Eduardo sofreu pênalti e, na cobrança, Léo Costa mandou no canto, transformando a frustração em comemoração.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ 1

Júlio César; Vítor, Bruno Silva, Jaime e Eduardo; Elicarlos, David (Wellington Cézar) e Léo Costa; Thiago Primão (Thomás), Éverton Santos e André Luís (William Barbio). Técnico: Vinícius Eutrópio.

CAMPINENSE/PB 1

Glédson; Alex Travassos, Joécio, Paulo Paraíba e Gilmar (Ronaell); Magno, Negretti, Filipe Ramon (Lessinho)e Fernando Pires; Casagrande (Tiago Orobó) e Augusto.
Técnico: Sérgio China.

Local: Estádio Amigão (Campina Grande/PB).
Árbitro: Mayron dos Reis Novais (MA).
Assistentes: Antônio Fernando de Souza Santos (MA) e Ivanildo Gonçalves da Silva (MA).
Gols: Bruno Silva (contra), aos 39 do 1º tempo, e Léo Costa, aos 43 do 2º tempo (Santa Cruz).
Cartões amarelos: Léo Costa, Elicarlos e Jaime (Santa Cruz).

 

Veja também

Náutico busca anulação do cartão vermelho de Lucas Perri
Náutico

Náutico busca anulação do cartão vermelho de Lucas Perri

As grandes ausências da edição 2022 de Wimbledon; Medvedev, Zverev e Sabalenka estão fora
Tênis

As grandes ausências da edição 2022 de Wimbledon; Medvedev, Zverev e Sabalenka estão fora