Com pênalti na reta final, Santa arranca empate diante do Campinense

Depois de sair atrás, Tricolor ganhou 'bônus' e converteu, alcançando a segunda colocação do Grupo A no Nordestão

 

Sabe aquele empate que é lucro? Já seria assim para o Santa Cruz se o placar zerado, sustentado até os 39 minutos do segundo tempo, fosse mantido diante do Campinense, nesta quarta-feira (25), no Estádio Amigão, em Campina Grande, pela 1ª rodada do Grupo A da Copa do Nordeste 2017. Contudo, depois de levar um gol e conseguir empatar - de pênalti, com Léo Costa -, a igualdade mereceu as mais justas comemorações. Pouco inspirado, mas ‘iluminado’, o Tricolor terminou o duelo contra a Raposa no 1x1, e chegou à segunda posição da chave, com um ponto, atrás do Náutico, que soma três. O adversário paraibano segue empatado com a Cobra Coral na pontuação, enquanto o Uniclinic/CE ainda não saiu do zero. O próximo compromisso do time de Vinícius Eutrópio pelo torneio regional será o clássico contra o Timbu, no dia 4 de fevereiro, no Arruda.

Com a torcida a favor e mais acostumado ao castigado gramado, o Campinense demonstrou maior entrosamento durante todo o primeiro tempo - cabe ressaltar que o time já vinha disputando o Campeonato Paraibano -, impondo maior dinamismo ofensivo. Pelo lado do Santa Cruz, Vítor chegou com perigo no primeiro minuto de jogo, mas, depois, o ‘destaque’ ficou por conta de uma defesa atabalhoada. Especialmente o zagueiro Jaime, que deixou frequentes brechas no lado esquerdo, sobrecarregando a função de cobertura do lateral Eduardo, aproveitado das categorias de base. Também sacrificado, o goleiro Júlio César apareceu como principal ponto de segurança na equipe coral. O problema é que, quando o goleiro trabalha muito, algo está errado.

Na retomada do confronto, a ‘confusão’ defensiva diminuiu entre os tricolores, mas o problema não chegou a ser resolvido de fato. Sem compactação, o time coral teve dificuldades para estabelecer diálogo entre os setores, que apareceram distantes na distribuição da equipe.

A reta final, no entanto, foi digna de comemoração para os corais. Primeiro, fazendo jus ao retrospecto, o Campinense abriu o placar, aos 39 minutos, quando Lessinho cruzou para Augusto, que cabeceou para o gol. Na tentativa de corte, o zagueiro Bruno Silva marcou contra. Neste momento, a ‘justiça’ parecia consolidada. Mas, aos 43, Eduardo sofreu pênalti e, na cobrança, Léo Costa mandou no canto, transformando a frustração em comemoração.

FICHA DO JOGO

SANTA CRUZ 1

Júlio César; Vítor, Bruno Silva, Jaime e Eduardo; Elicarlos, David (Wellington Cézar) e Léo Costa; Thiago Primão (Thomás), Éverton Santos e André Luís (William Barbio). Técnico: Vinícius Eutrópio.

CAMPINENSE/PB 1

Glédson; Alex Travassos, Joécio, Paulo Paraíba e Gilmar (Ronaell); Magno, Negretti, Filipe Ramon (Lessinho)e Fernando Pires; Casagrande (Tiago Orobó) e Augusto.
Técnico: Sérgio China.

Local: Estádio Amigão (Campina Grande/PB).
Árbitro: Mayron dos Reis Novais (MA).
Assistentes: Antônio Fernando de Souza Santos (MA) e Ivanildo Gonçalves da Silva (MA).
Gols: Bruno Silva (contra), aos 39 do 1º tempo, e Léo Costa, aos 43 do 2º tempo (Santa Cruz).
Cartões amarelos: Léo Costa, Elicarlos e Jaime (Santa Cruz).

 

Veja também

Campeonato Brasileiro Feminino começa neste sábado
Futebol Feminino

Campeonato Brasileiro Feminino começa neste sábado

Taubaté bate Minas e conquista o bi na Superliga masculina de vôlei
Vôlei

Taubaté bate Minas e conquista o bi na Superliga masculina de vôlei