Com recorde de renda, Náutico vence amistoso em reencontro com os Aflitos

O placar de 1x0 foi construído com um gol, aos quatro minutos do primeiro tempo, marcado por Thiago

Aflitos receberá primeiro clássico pós-reaberturaAflitos receberá primeiro clássico pós-reabertura - Foto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco

Foram mais de quatro anos em silêncio. O vermelho das arquibancadas estava desbotando. As cadeiras, empoeiradas. A bola não rolava mais no gramado centenário. O estádio do Náutico virara apenas uma lembrança. Distante de quem mais o tratava com carinho, a torcida. Mas é difícil manter-se separado quando há um sentimento tão grande envolvido. Neste domingo, enfim, ele renasceu. Voltou a ser a casa de todos os alvirrubros. Uma festa que começou nas primeiras horas da manhã e foi finalizada com o amistoso diante do Newell’s Old Boys/ARG. Em campo, o Timbu ganhou por 1x0, mas o resultado da partida ficou em segundo plano. O grande protagonista foi Eládio de Barros Carvalho. Seja bem-vindo de volta, Aflitos.

Com um time repleto de atletas formados base – sete ao todo –, o técnico Márcio Goiano utilizou o amistoso para observar o rendimento da equipe após quase um mês de treinamentos. Da base titular, os remanescentes eram Assis, Camutanga, Josa e Wallace Pernambucano. Esse último, inclusive, foi o autor da arrancada pela direita que terminou com o cruzamento na medida para Tiago, de 17 anos, abrir o placar. O primeiro gol do “novo Aflitos”.

Leia também:
Torcida festeja reencontro com ex-atletas nos Aflitos
A maior festa da história dos Aflitos
Torcida começa a chegar para reabertura dos Aflitos

No segundo tempo, o Timbu perdeu fôlego e sofreu pressão do Newell’s. Por duas vezes os argentinos tiveram a chance de empatar o duelo, parando em boas defesas do goleiro Bruno, além de uma cabeça no fim que tirou tinta da trave. Um detalhe curioso: ambos os clubes voltaram de uniformes diferentes após o intervalo. O Alvirrubro trocou a camisa listrada vermelha pelo padrão todo branco, enquanto o Newell’s fez o oposto, sacando o branco pelo tradicional vermelho e preto.

Para atletas e comissão técnica, o jogo serviu para testar o modelo tático que Goiano pretende implantar em 2019 e enxergar quais peças podem se encaixar melhor no perfil do time que iniciará em janeiro a Copa do Nordeste e o Campeonato Pernambucano. Detalhes que, honestamente, o torcedor do Náutico só deve se preocupar a partir da segunda. Tática e técnica podem esperar. No apito final, o torcedor alvirrubro voltou a comemorar uma vitória nos Aflitos. O resultado também garantiu ao clube o "Troféu Gena", título criado em homenagem ao ex-ídolo alvirrubro que faleceu em novembro.

Bilheteria

Com  R$ 1.576, 200 de renda, o Náutico bateu o recorde de bilheteria de Pernambuco.

FICHA DE JOGO

Náutico

Bruno (Luiz Carlos); Joazi (Hereda), Camutanga, Diego e Assis; Josa, Rhaldney e Lucas Paraíba (Rafael Assis); Luis Filipe (Allan Patrick), Tiago e Wallace Pernambucano (Tharcysio). Técnico: Márcio Goiano

Newell’s Old Boys

Brian Bustos; Francisco Manetti, Lucio Bagalá, Diego Gonzalez e Juan Dedouret; Juan Manuel Requena, Julian Marcioni, Mauro Veja e Nahvel Cisneros; Cisandro Cabrera e Francisco Gonzalez. Técnico: Hector Bidoglio

Local: Aflitos (Recife/PE)
Árbitro: Péricles Bassols. Assistentes: Clóvis Amaral e Bruno Vieira
Gols: Tiago (aos 4 do 1ºT)
Público: 17.357
Renda: R$ 1.576, 200 

Veja também

Líder da Série B, Náutico recebe Vila Nova nos Aflitos nesta terça (15)
Futebol

Líder da Série B, Náutico recebe Vila Nova nos Aflitos nesta terça (15)

Em carta de renúncia, Milton Bivar fala em "missão cumprida", dois meses após reeleição
Sport

Em carta de renúncia, Milton Bivar fala em "missão cumprida", dois meses após reeleição