Com um a menos, Sport se recupera e bate o Operário

Chances desperdiçadas e expulsão não foram suficientes para evitar vitória do Leão, que se assegura ainda mais no G-4

Charles foi o autor do gol que recolocou o Sport na frente do placarCharles foi o autor do gol que recolocou o Sport na frente do placar - Foto: Anderson Stevens/Sport

A margem de segurança do Sport em relação ao G-4 aumentou na noite deste sábado. O Leão fez seu dever de casa ao bater o Operário por 3x1 na Ilha do Retiro, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. A O resultado reaproxima os rubro-negros do líder Bragantino e criar mais distância para o Coritiba, atual quinto colocado com 37 pontos, abrindo sete pontos de vantagem. A partida foi dominada amplamente pelo Leão, que ainda precisou desempatar após Éder cometer um pênalti e ser expulso.

A divulgação da escalação do Sport surpreendeu quem esperava a dupla Adryelson e Rafael Thyere novamente. Por opção técnica, Guto Ferreira optou por Éder desta vez. De fato, a saída de bola rubro-negra cometeu erros infantis nas partidas recentes. Ainda assim, a alteração não corrigiu plenamente a construção na parte de trás, com erros de passes simples nos primeiros minutos diante do Operário. A imposição ofensiva do Leão dentro de casa reapareceu, após ser anulada no revés contra o América Mineiro. Leandrinho e Yan guiaram os caminhos que o ataque deveria encontrar, e quase a dupla acertou em bela jogada aos 8 minutos, mas Rodrigo Viana interviu. Até a primeira metade da etapa inicial, os donos da casa detinham total domínio da partida, enquanto a equipe paranaense se mostrava impotente em campo.

Leia também:

Sport tem 81% de probabilidade de acesso, segundo site

Nordestão: Sport cai no Grupo A. Santa e Náutico ficam no B

Brocador e Guilherme formam a dupla dinâmica do Sport 

 Em boa fase, Sport busca fazer o dever de casa ante Operário

No entanto, o ímpeto leonino no último terço não se concretizava nas redes do adversário. O maior exemplo disso ocorreu em lance inacreditável aos 19 minutos, protagonizado por Hernane. O atacante teve a sobra da bola na entrada da pequena área, após Marcelo desviar para a própria meta e atingir o travessão, porém direcionou o cabeceio de maneira equivocada A falta da conclusão apropriada permitiu que o Fantasma também tivesse confiança para chegar no ataque em algum momento. Aos 35, Maílson finalmente levou susto na primeira tentativa dos visitantes e foi obrigado a espalmar o chute de Marcelo.

Os lados do Sport não eram bem explorados e assim as possibilidades ofensivas estavam encurtadas. Enfim, aos 44, Sander apareceu na frente e cruzou rasteiro para o Brocador, livre, completar de chapa para abrir o placar na Ilha do Retiro. Apesar de tardio, o gol premiou a superioridade rubro negra nos primeiros 45 minutos.

Ainda que o placar estivesse alterado, a postura das equipes continuou similar na volta do intervalo. Apesar de aparentar inicialmente que seria mais cauteloso, o Sport retornou ainda mais contundente no ataque. Aos 5, Yan conduziu boa trama e observou Leandrinho na entrada da área, que arriscou belo chute e atingiu a trave. No minuto seguinte, novamente o meia acertou o poste, o Brocador pegou o rebote e Rodrigo Viana defendeu com o pé. Em outra tentativa do atacante na mesma jogada, o goleiro adversário evitou o gol mais uma vez. A série de oportunidades desperdiçadas é fator que faz parte de um roteiro desagradável e temido pelo torcedor rubro-negro na Série B.

Mesmo sem conhecimento disso, o Fantasma ressurgiu na partida. Aos 23, Lucas Batatinha saiu na frente em corrida com Éder e foi derrubado na área. O árbitro apontou a infração e expulsou o defensor rubro-negro. O meia Marcelo cobrou com tranquilidade e igualou o marcador. O imprevisto, curiosamente, ocasionou outro imprevisto. Em cobrança de falta, Pedro Carmona lançou em direção à grande área e Charles desviou para as redes. O Leão estava com a vantagem outra vez, mesmo estando na desvantagem numérica. A quantidade de jogadores em campo e o placar a favor não era suficiente para os mandantes, ao menos Guilherme pensou dessa maneira. O ponta rubro-negro conduziu a bola, ajeitou para a perna esquerda e soltou um míssil sem chances de defesa, ampliando o marcador e não permitindo ameaças nos últimos minutos.  

Veja também

Reunião da CBF tem bate-boca e Flamengo pedindo volta de torcida
Futebol

Reunião da CBF tem bate-boca e Flamengo pedindo volta de torcida

Perí é regularizado e pode estrear pelo Santa Cruz
Futebol

Perí é regularizado e pode estrear pelo Santa Cruz