Concentração de campeões cresce no Brasileiro

Com cinco clubes campeões, o último período de dez anos (2010 a 2019) foi o menos equilibrado

Fla contou com o tropeço palmeirense para ser campeãoFla contou com o tropeço palmeirense para ser campeão - Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

O Campeonato Brasileiro conheceu em 2019 o seu quinto campeão diferente nos últimos dez anos. Com o título desta temporada, o Flamengo se juntou a Corinthians, Fluminense, Cruzeiro e Palmeiras entre as equipes que levantaram a taça de 2010 para cá -os corintianos foram tricampeões, enquanto os outros três se sagraram bicampeões no período. A competição, porém, já foi mais democrática. Levantamento feito pela Folha de S.Paulo, com a distribuição de títulos desde 1980, mostra que em outros períodos já houve um número maior de vencedores.

Com cinco clubes campeões, o último período de dez anos (2010 a 2019) foi o menos equilibrado. De 2000 a 2009, o Brasileiro conheceu sete campeões distintos, mesmo número do recorte de 1990 a 1999. Entre 1980 e 1989, o torneio distribuiu ainda mais taças a diferentes equipes, com oito campeões diferentes.

Apesar de estar mais concentrado, o Brasileiro ainda exibe maior variedade na lista de vencedores do que as seis principais ligas europeias: Inglaterra, Alemanha, Espanha, Itália, França e Portugal. Nos últimos dez anos, só a França, com cinco campeões diferentes, foi tão diversa quanto o Brasil nesse aspecto.

Mas com uma particularidade: os franceses têm assistido à crescente hegemonia do Paris Saint-Germain, dono de seis títulos nas últimas sete temporadas graças principalmente ao investimento do Qatar Sports Investment, que adquiriu o clube em 2011. No Campeonato Francês, o período de 1990 a 1999, mais diverso em termos de equipes campeãs, viu sete times distintos terminarem a liga na primeira colocação.

Considerado o principal torneio nacional do planeta, a Premier League, entre as ligas da elite europeia, é a segunda com maior distribuição de títulos em diferentes times.
De 2010 a 2019, Manchester United, Chelsea, Manchester City e o pequeno Leicester levantaram o troféu do torneio.

O recorte inglês mostra que os últimos dez anos foram mais equilibrados que os dez anos anteriores, quando somente três clubes levantaram a taça entre 2000 e 2009.
Na Espanha, o Barcelona tem sido o grande responsável pela desigualdade da liga quando o assunto é distribuição de taças. Sete vezes campeão de 2010 para cá, foi atrapalhado somente por Real Madrid, com dois títulos, e Atlético de Madri, com um.

Também com três clubes campeões desde 2010, a Itália tem visto a Juventus construir uma hegemonia nacional. Já são oito títulos seguidos para o clube de Turim -a Inter de Milão, na temporada 2009/2010, e o Milan, na edição 2010/2011, foram os outros dois vencedores no período. Os campeonatos alemão e português são ainda mais desiguais atualmente que as ligas espanhola e italiana.

Na Alemanha, nesse mesmo período, só dois clubes levantaram a taça: Bayern de Munique e Borussia Dortmund. Desde a temporada 2012/2013 que a Bundesliga não conhece outro vencedor que não o time bávaro, campeão de oito das últimas dez edições. Já nos períodos períodos de 2000 a 2009 e 1990 a 1999, o Campeonato Alemão teve cinco campeões diferentes.

Em Portugal, Benfica e Porto foram os únicos campeões nos últimos dez anos. Os benfiquistas conquistaram seis campeonatos no período, enquanto o Porto ficou com os outros quatro troféus. Há um outro recorte que também ilustra a concentração de conquistas na liga portuguesa em comparação com o Campeonato Brasileiro.

Leia também:
Com melhor 1º e piores rebaixados, Brasileiro-19 é o mais desigual
Bruno Henrique é eleito o Craque do Brasileiro; Millene vence no feminino

Levando em conta o período de 2003 a 2019, ou seja, quando o Brasileiro passou a ser disputado em pontos corridos, os dois maiores campeões portugueses nessas 17 ligas, Benfica e Porto, foram responsáveis por 100% das taças. No Brasil, de 2003 para cá, o Corinthians, quatro vezes campeão, e a dupla São Paulo e Cruzeiro, com três títulos cada um, concentraram 58% dos troféus da competição.

Nos 17 campeonatos anteriores, isso é, de 1986 a 2002, o Brasileiro foi significativamente mais democrático. Apesar de Corinthians e Vasco terem conquistado o título em três vezes, e São Paulo e Palmeiras terem ficado com duas conquistas, os maiores vencedores no período representaram apenas 35% do total.

Veja também

Anderson não ficará no Náutico, confirma empresárioFutebol

Anderson não ficará no Náutico, confirma empresário

Kieza retorna aos trabalhos com bola no NáuticoFutebol

Kieza retorna aos trabalhos com bola no Náutico