Confira o quarteto do Náutico fundamental no título da Série C

Jefferson, Camutanga, Jean Carlos e Álvaro se destacaram na reta final da temporada 2019

Álvaro, atacante do NáuticoÁlvaro, atacante do Náutico - Foto: Léo Lemos/Náutico

O título da Série C 2019 é mérito de um trabalho coletivo, envolvendo atletas, comissão técnica e diretoria. Porém, em campo, é inegável que algumas peças tiveram maior participação no primeiro troféu nacional do Náutico. Quatro nomes brilharam na reta final da competição. Seja defendendo, criando ou atacando, o clube esteve bem servido. Jefferson, Camutanga, Jean Carlos e Álvaro foram os pilares de mais um capítulo especial na história do Timbu.

Em 2017, Jefferson integrou o elenco do Náutico rebaixado à Série C. Justo no primeiro ano em que teve uma sequência na equipe profissional. Na temporada posterior, após sofrer uma lesão na coxa esquerda, o jogador perdeu espaço para Bruno. Passou um período emprestado ao Atlético/GO e o Joinville, antes do retorno no meio de 2019, substituindo seu antigo companheiro de posição, negociado com o Gil Vicente/POR. O retorno foi no momento certo. O camisa 1 colecionou defesas importantes, principalmente no mata-mata. E, nas quartas e semifinais, foi decisivo pegando pênaltis. Difícil pensar no acesso e título sem a presença de Jefferson.

Não foi apenas Jefferson que deu a volta por cima no Náutico. Camutanga, que já foi chamado de “burro” pelo então treinador do clube, Roberto Fernandes, começou a temporada sob desconfiança, sem ocupar sequer o posto de titular absoluto. Foi com a vinda de Gilmar Dal Pozzo que a história do defensor mudou. Comparado ao português Pepe pelo novo técnico, o zagueiro se tornou o pilar do sistema defensivo do Timbu. Contra o Sampaio Corrêa, no duelo de ida, marcou seu primeiro gol em 2019 no triunfo por 3x1. Ganhou o respeito da torcida e carreata em sua cidade-natal.

Jean Carlos foi um dos últimos reforços a desembarcar no Náutico. Sincero em suas entrevistas, o meia confessou que comportamento extracampo no passado o atrapalhou na carreira. Em compensação, deixou claro que o “novo Jean” estava focado e grato pela oportunidade dada pelo Timbu. A melhor forma de retribuir o carinho foi em campo. O atleta comandou o setor de criação do time e chamou a responsabilidade no momento mais importante da temporada, no pênalti convertido no último minuto diante do Paysandu, no empate em 2x2, nas quartas de final, que levou a decisão da vaga à Série B para as penalidades, vencida pelos pernambucanos. Momento que ficará eternizado na memória dos alvirrubros.

No ataque, ninguém voou mais alto do que Álvaro. De reserva à artilheiro do time na Série C, com seis gols, o atacante brilhou nos momentos decisivos de 2010. Nos seis jogo do mata-mata, marcou cinco tentos. Destaque para o desempenho nas jogadas aéreas. Apenas um dos gols foi com os pés. Nos demais, o centroavante usou a cabeça para ajudar o Timbu a conquistar o inédito título nacional. "Quando cheguei, eu trabalhei quietinho e sabia do meu potencial. Fico feliz em participar desse momento", afirmou o jogador.

Leia também:
Náutico: Reconstrução encerra jejum histórico
Náutico: Volta para casa em grande estilo
[Vídeo] Náutico ergue a taça de campeão da Série C 2019

Veja também

Martelotte elogia adversário, mas lamenta falhas defensivas: 'Erros que precisamos corrigir'
Santa Cruz

Martelotte elogia adversário, mas lamenta falhas defensivas: 'Erros que precisamos corrigir'

Confira os gols de Santa Cruz 3x3 Jacuipense/BA, pela Série C
Santa Cruz

Confira os gols de Santa Cruz 3x3 Jacuipense/BA, pela Série C