Confira o quarteto do Náutico fundamental no título da Série C

Jefferson, Camutanga, Jean Carlos e Álvaro se destacaram na reta final da temporada 2019

Álvaro, atacante do NáuticoÁlvaro, atacante do Náutico - Foto: Léo Lemos/Náutico

O título da Série C 2019 é mérito de um trabalho coletivo, envolvendo atletas, comissão técnica e diretoria. Porém, em campo, é inegável que algumas peças tiveram maior participação no primeiro troféu nacional do Náutico. Quatro nomes brilharam na reta final da competição. Seja defendendo, criando ou atacando, o clube esteve bem servido. Jefferson, Camutanga, Jean Carlos e Álvaro foram os pilares de mais um capítulo especial na história do Timbu.

Em 2017, Jefferson integrou o elenco do Náutico rebaixado à Série C. Justo no primeiro ano em que teve uma sequência na equipe profissional. Na temporada posterior, após sofrer uma lesão na coxa esquerda, o jogador perdeu espaço para Bruno. Passou um período emprestado ao Atlético/GO e o Joinville, antes do retorno no meio de 2019, substituindo seu antigo companheiro de posição, negociado com o Gil Vicente/POR. O retorno foi no momento certo. O camisa 1 colecionou defesas importantes, principalmente no mata-mata. E, nas quartas e semifinais, foi decisivo pegando pênaltis. Difícil pensar no acesso e título sem a presença de Jefferson.

Não foi apenas Jefferson que deu a volta por cima no Náutico. Camutanga, que já foi chamado de “burro” pelo então treinador do clube, Roberto Fernandes, começou a temporada sob desconfiança, sem ocupar sequer o posto de titular absoluto. Foi com a vinda de Gilmar Dal Pozzo que a história do defensor mudou. Comparado ao português Pepe pelo novo técnico, o zagueiro se tornou o pilar do sistema defensivo do Timbu. Contra o Sampaio Corrêa, no duelo de ida, marcou seu primeiro gol em 2019 no triunfo por 3x1. Ganhou o respeito da torcida e carreata em sua cidade-natal.

Jean Carlos foi um dos últimos reforços a desembarcar no Náutico. Sincero em suas entrevistas, o meia confessou que comportamento extracampo no passado o atrapalhou na carreira. Em compensação, deixou claro que o “novo Jean” estava focado e grato pela oportunidade dada pelo Timbu. A melhor forma de retribuir o carinho foi em campo. O atleta comandou o setor de criação do time e chamou a responsabilidade no momento mais importante da temporada, no pênalti convertido no último minuto diante do Paysandu, no empate em 2x2, nas quartas de final, que levou a decisão da vaga à Série B para as penalidades, vencida pelos pernambucanos. Momento que ficará eternizado na memória dos alvirrubros.

No ataque, ninguém voou mais alto do que Álvaro. De reserva à artilheiro do time na Série C, com seis gols, o atacante brilhou nos momentos decisivos de 2010. Nos seis jogo do mata-mata, marcou cinco tentos. Destaque para o desempenho nas jogadas aéreas. Apenas um dos gols foi com os pés. Nos demais, o centroavante usou a cabeça para ajudar o Timbu a conquistar o inédito título nacional. "Quando cheguei, eu trabalhei quietinho e sabia do meu potencial. Fico feliz em participar desse momento", afirmou o jogador.

Leia também:
Náutico: Reconstrução encerra jejum histórico
Náutico: Volta para casa em grande estilo
[Vídeo] Náutico ergue a taça de campeão da Série C 2019

Veja também

Hélio cobra intensidade do Náutico em estreia no Estadual
Futebol

Hélio cobra intensidade do Náutico em estreia no Estadual

Em recuperação, Alonso não poderá participar da apresentação da Alpine
Fórmula 1

Em recuperação, Alonso não poderá participar da apresentação da Alpine