Confira o que mudou no time-base do Náutico de 2018 e 2019

Camutanga e Josa são os titulares remanescentes, além do elenco ter a permanência de nomes como Jhonnatan, Jiménez e Wallace Pernambucano

Josa, volante do NáuticoJosa, volante do Náutico - Foto: Léo Lemos/Náutico

Mesmo clube, mesma fase, mas com uma base titular parcialmente diferente. Assim como no ano passado, o Náutico está nas quartas de final da Série C. Desta vez, contudo, os alvirrubros esperam um desfecho bem diferente do visto na temporada anterior, quando foi eliminado para o Bragantino, dando adeus ao sonho do acesso à Série B. Agora, perante o Paysandu, o clube está pronto para não repetir os mesmos erros. Confira as diferenças das versões 2018 e 2019 do Timbu.

No ano passado, o time-base do Náutico teve Bruno; Bryan, Sueliton, Camutanga e Assis; Josa, Jhonnatan e Luiz Henrique; Dudu, Robinho e Ortigoza. Em 2019, o Timbu só manteve dois jogadores na equipe principal: Camutanga e Josa. Wallace também continua no elenco, assim como Jhonnatan, mas ambos não possuem presença constante entre os titulares. Outro remanescente é o volante Jiménez.

Na defesa, o Náutico trocou um goleiro da base por outro, com Jefferson assumindo o posto atualmente. Na lateral, a equipe ganhou uma consistência defensiva maior com Hereda no lugar de Bryan, assim como com Willian Simões no posto de Assis. Na defesa, Sueliton em 2018 vivia uma fase mais regular do que a de Diego em 2019.

O time de 2018 era mais “leve” no meio-campo. Muito por conta da presença de Luiz Henrique no setor. Em sua vaga, o Timbu tem um meia de menor velocidade, mas com poder maior de articulação, caso de Jean Carlos. O “Josa 2019” chega mais regular que o de 2018. Já na disputa entre Jhonnatan e Jiménez, embora o paraguaio viva um bom momento, seu companheiro de posição atravessava um período ainda melhor.

Leia também:
Brasil e Argentina voltam a se encarar em amistosos
Josa minimiza frustração na Série C de 2018

Matheus Carvalho, hoje lesionado, ficou na posição que era de Dudu. Ambos podiam jogar tanto na ponta como no meio. Na vaga de Robinho, Thiago assumiu o posto. O atual prata da casa não deixou o nível cair. Com cinco gols, ele é o artilheiro do time na Série C e tem sido mais decisivo que o antigo companheiro de base. Na frente, a maior perda. Éinegável que Ortigoza era bem mais importante em 2018 do que Rafael Oliveira em 2019. O paraguaio fez 13 gols em 26 jogos no Timbu, sendo o grande nome na ocasião.

No comando técnico, a troca foi de Márcio Goiano por Gilmar Dal Pozzo. Ambos chegaram até o mata-mata deixando o Timbu na liderança da chave. O primeiro conseguiu adotar um estilo de jogo mais ofensivo. Já a equipe montada por Dal Pozzo passa mais estabilidade, principalmente fora de casa.

Você pode assistir ao confronto entre Paysandu e Náutico, domingo (1º), às 18h, no Mangueirão, pela DAZN.  

Veja também

Contemplado por Lei de Incentivo, Cesta dos Sonhos ganha maior amplitude
Basquete

Contemplado por Lei de Incentivo, Cesta dos Sonhos ganha maior amplitude

Andrés diz que o goleiro Cássio fica no Corinthians
Futebol

Andrés diz que o goleiro Cássio fica no Corinthians