Confira os perigos do Sampaio, rival do Náutico na final da Série C

Sampaio já foi três vezes campeão nacional, faturando as Séries B (1972), C (1997) e D (2012)

Sampaio Corrêa terá a vantagem de decidir em casaSampaio Corrêa terá a vantagem de decidir em casa - Foto: Lucas Almeida/Sampaio Corrêa

Almejando conquistar seu primeiro título na história fora do eixo Norte-Nordeste, o Náutico terá pela frente um time experiente em levantar troféus nacionais. Campeão das Séries B (1972), C (1997) e D (2012), o Sampaio Corrêa busca sua segunda taça na competição e quarta do Brasileiro. Conheça os perigos que o Tubarão oferecerá ao Timbu na decisão da terceira divisão.

O Sampaio estava no Grupo A, o mesmo do Náutico, terminando em segundo lugar, justamente abaixo do Timbu. Nas quartas de final, o time empatou em 0x0 com o São José/RS, na ida, vencendo na volta por 3x2. Nas semifinais, perante o Confiança, vitórias em Sergipe (2x0) e no Maranhão (1x0). O desempenho deu ao clube a vantagem de decidir a segunda partida da final da Série C em casa.

Ao todo, em 22 jogos, o Sampaio venceu 12, empatou cinco e perdeu cinco, com aproveitamento de 62,1%. Em casa, o Tubarão soma sete triunfos, dois empates e duas derrotas. Fora, ganhou cinco, empatou três e foi derrotado outras três vezes. A equipe marcou 28 gols e sofreu 21. O artilheiro do clube é o atacante Salatiel, com sete bolas na rede.

Leia também:
Lesão, retorno ao lar e acesso: Diego comemora sequência no Náutico
Náutico divulga preço dos ingressos para final da Série C


Contratado em junho deste ano, no final do primeiro turno, o técnico João Brigatti pegou o Sampaio na sexta posição do Grupo A. Assim que chegou, ele engatou uma sequência de seis partidas sem derrotas, com cinco vitórias e um empate, recolocando os maranhenses no G4. Outro mérito do treinador foi utilizar bem opções que antes estavam sem espaço na equipe.

O meia-atacante Esquerdinha, que sofreu com muitas lesões durante a temporada, virou titular após a saída de João Paulo para o Londrina. Vitor, então reserva, pegou a vaga do zagueiro Paulo Sérgio e manteve-se na defesa nas últimas três rodadas, ajudando a Bolívia Querida a passar as semifinais sem sofrer gols.

Essa não será a primeira vez que o Sampaio Corrêa encontrará um pernambucano na final da Série C. Em 2013, o time decidiu o título do torneio diante do Santa Cruz, ficando com o vice-campeonato. Assim como as recordações não são as melhores, o retrospecto diante do Náutico em 2019 também é ruim. Os alvirrubros venceram os dois jogos na fase de grupos - 2x0 no Castelão e 2x1 nos Aflitos. Ao todo, os clubes já se encontraram 16 vezes, com ampla vantagem do Timbu. São nove vitórias, quatro empates e três derrotas.

Veja também

Empresário cita possibilidade de Marcos Vinícius voltar ao Náutico
Futebol

Empresário cita possibilidade de Marcos Vinícius voltar ao Náutico

Thiem, campeão do US Open, avança à segunda fase de Roland Garros
Tênis

Thiem, campeão do US Open, avança à segunda fase de Roland Garros