Confusão em jogo do Guarani tem torcedora agredida por PM e 10 presos

No ônibus da torcida, a PM diz ter encontrando duas porções de haxixe, três de maconha e 14 de cocaína

Ministério Público de PernambucoMinistério Público de Pernambuco - Foto: Divulgação

A confusão entre torcedores do Guarani e a Polícia Militar terminou com dez pessoas presas em Varginha (MG) na decisão da Série C no último sábado (5). Um vídeo que tem sido divulgado nas redes sociais mostra uma torcedora detida depois de uma agressão de um policial. A torcedora, que não teve seu nome revelado pelas autoridades, foi em direção aos policiais e iniciou uma discussão. Ela falou palavrões e apontou o dedo até ser afastada por um PM com um empurrão no rosto. Em seguida, a torcedora chamou o policial de "verme" e acabou algemada.

"Ele usou a técnica de controle de contato, ele evitou que ela se aproximasse dele e dando voz de prisão por desacato", explicou o tenente-coronel Hudson Abner Pinto.
De acordo com a assessoria de imprensa da PM, a moça não foi agredida. Ela foi apenas "empurrada" e acabou liberada depois de prestar depoimento na delegacia.

A PM ainda confirmou que dez torcedores foram presos depois do fim do jogo por diversos motivos, incluindo tráfico de drogas. A PM se defendeu das acusações do Guarani de ser responsável por iniciar a briga dentro do estádio após a vitória do Boa Esporte.

"A PM foi acionada apara atender furtos nos bares localizados na torcida do Guarani. Teve de intervir nessas situações dentro do estádio. Durante o tempo todo, a torcida do Guarani buscou confronto com torcedores do Boa. Ao final da partida, integrantes da torcida organizada tentaram acessar o gramado, forçando as barreiras no estádio para impedir, bem como tentando acessar o local da torcida do Boa. A PM, se preocupando em evitar confronto e invasão, atuou com meios moderados e progressivos da torcida, impedir", explicou o tenente-coronel.

Em seu site, o Guarani acusou a polícia de ser a responsável por iniciar a confusão com os torcedores. O médico do clube chegou a ser atingido por uma pedra no nariz.
"A mancha do espetáculo ficou por conta da truculência e o despreparo da Polícia Militar de Varginha que, ao fim da partida, atirou contra a torcida do Guarani afim de dispersar e evacuar o estádio de forma mais rápida. Idosos, mulheres, crianças e a torcida do Bugre em geral foram atingidos pelas bombas de efeito moral e pelos tiros de borracha. A imprensa campineira também sofreu com os policiais despreparados para o tamanho do evento", disse o clube.

No ônibus da torcida, a PM diz ter encontrando duas porções de haxixe, três de maconha e 14 de cocaína.

Veja também

Bahia, São Paulo e Vasco conhecem adversários da Copa Sul-Americana
Sulamericana

Bahia, São Paulo e Vasco conhecem adversários da Copa Sul-Americana

Com mais testes, elenco do Santa vai se pondo sob medida para o 'estilo Martelotte'
Santa Cruz

Com mais testes, elenco do Santa vai se pondo sob medida para o 'estilo Martelotte'