Conheça locais que deram início ao futebol pernambucano

Conheça locais no Recife que já funcionaram como espaço para evolução e construção da identidade do futebol pernambucano

Antigo campo do DerbyAntigo campo do Derby - Foto: Coleção Josebias Bandeira/Acervo Fundaj

As partidas de Sport e Santa Cruz deste final de semana serão disputadas na Arena de Pernambuco, oferecendo mais comodidade aos torcedores e jogadores. Porém, os primeiros anos do futebol no Estado foram muito diferentes da realidade atual. Enquanto o estádio de São Lourenço da Mata trouxe uma nova visão do que a experiência de uma partida pode oferecer, alguns campos sequer haviam assentos no início do século XX. Dezenas de clubes praticavam o esporte na Capital e dividiam entre si os locais para disputar os jogos. Os campos da Avenida Malaquias, Aflitos, Afogados, British Club, Jaqueira e do Derby são considerados os principais palcos daquela época, mas se jogava onde houvesse um terreno baldio e até nas ruas, como afirma Givanildo Alves em sua obra “História do Futebol em Pernambuco”.

O futebol aterrissou em Pernambuco de maneira semelhante aos outros estados, através de um brasileiro que havia estudado na Europa. A vivência durante cinco anos na Inglaterra foi suficiente para Guilherme de Aquino Fonseca se apaixonar por aquele esporte que despontava no mundo. O estudante tinha o desejo de fomentar a modalidade no Recife por meio de um clube, sendo que não havia nenhum. Náutico e Internacional eram as duas agremiações esportivas até então, mas ambas eram voltadas aos esportes aquáticos e estavam com suas atividades paralisadas. Guilherme precisou recorrer aos imigrantes ingleses que tinham alguma simpatia com a bola, seguidos posteriormente por recifenses impressionados com o que assistiam. Um campo improvisado no Derby recebeu os treinos do grupo que viria a formar o Sport Club do Recife.

Após a fundação do time, cerca de um mês depois ocorreu o primeiro jogo oficial no Estado. Em frente ao Mercado do Derby, onde hoje é o campo da Polícia Militar, o futebol pernambucano começava a escrever a sua história, em 22 de junho de 1905. O Sport enfrentou o “English Eleven”, formação de britânicos residentes na cidade e apontada como favorita na ocasião. No entanto, os principiantes arrancaram o empate por 2x2 e saíram com sentimento de vitória. A partida caiu nas graças de imprensa e torcida, encaminhando o que seria uma verdadeira febre nos próximos anos.

O produto inglês bombava em 1909. Não por acaso, o sucesso levava atletas do Náutico ao campo do Derby para treinar com a equipe do Sport, rival na disputa pelo domínio das águas. A situação incomodou o então presidente alvirrubro Ernesto Pereira Carneiro, que enfim decidiu iniciar oficialmente as atividades de futebol no clube. Trazer a rivalidade do Capibaribe para os campos foi o ato inicial do novo clube pernambucano. No dia 24 de julho, o gramado do British Club (localizava-se atrás de onde hoje é o Museu do Estado) recebeu o primeiro Clássico dos Clássicos, vencido por 3x1 pelo Náutico. Foi também ali que, em 1915, o extinto Flamengo venceu o Santa Cruz e se tornou o primeiro campeão estadual.

A pluralidade das torcidas atuais não seria encontrada antigamente. Cavalheiros e aristocratas eram os espectadores dominantes das partidas nos primeiros anos. “Um dos jornais em 1915 noticiou que havia reclamações sobre uma parte ‘menos educada’ do público. A medida tomada pela LSP (Liga Sportiva Pernambucana) - equivalente à Federação Pernambucana de Futebol (FPF), na época - foi transferir os jogos da campina do Derby para o British Club com a intenção de evitar a ‘promiscuidade ‘ do público. Depois disso, a cobrança de ingressos iniciou. Ou seja, levaram os jogos para um local mais afastado e exigiram dinheiro para o futebol continuar entre eles”, explicou Rodrigo Carrapatoso, pesquisador da história do futebol pernambucano.

Os campos recifenses que ofereciam condições para a prática adequada nas competições eram poucos. Dessa forma, a LSP alugou um terreno nos Aflitos em 1917. No mesmo ano, a final do campeonato conquistado pelo Sport diante do Santa teve a cancha recém-inaugurada como o local do embate. O Náutico tinha mais proximidade com o campo desde a vinda do Palmeiras para Recife naquele ano, quando os alvirrubros tinham desejo de fazer renda com a equipe paulista na praça esportiva. No entanto, a Liga requisitou 20% do dinheiro arrecadado e os duelos foram para o British Club. A entidade desistiu do terreno no ano seguinte, sendo adquirido pelo Timbu.

Ainda assim, nenhum espaço dos primórdios do futebol pernambucano é considerado mais importante do que o campo da avenida Malaquias. O Sport inaugurou em janeiro de 1918, atuando 235 vezes até conseguir a Ilha do Retiro em 1937. Situado com a esquina da Rosa e Silva, podia comportar 2 mil torcedores. A razão disso era a estrutura de 75 metros de comprimento por 40 metros de largura proveniente do Rio de Janeiro. Os rubro-negros haviam efetuado a compra das arquibancadas do Fluminense, conforme os jornais da época afirmam. O primeiro tricampeonato leonino foi celebrado lá, assim como a vitória do Santa Cruz contra a seleção brasileira em sua excursão no Recife.

O América ocupou o lugar após a saída do Sport, mas antes disso atuava no campo da Jaqueira. Isso mesmo, o Parque da Jaqueira primeiramente reuniu confrontos de times de futebol entre 1920 e 1940 onde é atualmente o circuito de bicicross. O Alviverde foi considerado dono do recinto, contudo foi a Cobra Coral que fez história no gramado. Os tricolores foram quem mais venceram e tiveram títulos no local, com três no total. Além disso possui Tará, maior artilheiro do Tricolor, como atleta que mais balançou as redes no campo.

Além da Jaqueira, o Santa passou por três bairros da capital até chegar ao Arruda, em 1943. A oportunidade para ter um campo, ao lado da sua sede social original, levou os tricolores à rua São Miguel, no bairro de Afogados. Em 8 de dezembro de 1928, o Santa foi superior ao Marvelo na inauguração e venceu pelo placar de 3x1. Apesar das poucas partidas no geral, um Clássico das Multidões foi disputado no local

Veja também

Sem acertar o gol, Jô soma polêmicas e tem 'nova folga' no Corinthians
Futebol

Sem acertar o gol, Jô soma polêmicas e tem 'nova folga' no Corinthians

Lesão tira Haaland do Borussia Dortmund até janeiro
Futebol

Lesão tira Haaland do Borussia Dortmund até janeiro