Conheça o Independiente Medellín, adversário do Santa na Sul-Americana

Potência do presente e com o passado ligado a Escobar, DIM busca um resultado histórico na Copa Sul-Americana

Isabella TavianiIsabella Taviani - Foto: Divulgação

Uma camisa de peso, das mais tradicionais da Colômbia. Esta é a marca do Deportivo Independiente Medellín, adversário do Santa Cruz de hoje na Copa Sul-Americana. Conhecido também como DIM, o clube da segunda cidade mais populosa do país tenta fazer uma campanha histórica ao conquistar o primeiro título continental.

Os tempos dourados do Medellín vêm de 2000 até agora, mas, na década de 80, o futebol do DIM teve um grande apoiador: Pablo Escobar. De acordo com o documentário “Os dois Escobar”, o narcotraficante foi um dos financiadores do futebol colombiano, por gostar muito de futebol. Isso reflete também nas estrelas que vestiram a camisa vermelha. Dos anos 80 até aqui, alguns atletas notáveis passaram por lá, a exemplo do meia Valderrama e do goleiro René Higuita. O outro time da cidade, Atlético Nacional, que conquistou sua segunda Libertadores recentemente (a primeira foi em 1987), também foi beneficiado à época.

Em tempos atuais, o ano de 2016 tem sido bom para “El Poderoso”. No primeiro semestre, quando é disputado o campeonato “Apertura” (na Colômbia existem dois campeões por ano), o clube terminou campeão ao derrotar o Junior Barranquilla na final. Já no Clausura, que está em andamento, o DIM ocupa a segunda colocação, atrás apenas do Envigado. Na “Sula”, foram quatro jogos e uma derrota. Na primeira fase, contra o Universidade de Quito, um empate em casa e uma vitória fora. Depois, diante do Sportivo Luqueño/PAR, um 3x0 na ida, em Medellín, e derrota por 2x0 na volta, em Luque.

Apesar do duelo com o Santa Cruz ser inédito, o cruzamento com equipes do mesmo país do Tricolor do Arruda não é novidade. A última vez em que o DIM enfrentou uma equipe do Brasil em torneios Conmebol foi em 10 de março de 2010, pela Libertadores. O jogo contra o Corinthians, realizado em Bogotá, terminou 1x1. Além disso, a melhor campanha do DIM em Libertadores foi encerrada por uma equipe brasileira. Em 2003, o Santos de Robinho derrotou o Independiente nas semifinais.

Veja também

Vítima de racismo, jogador brasileiro deixa de ir ao mercado na Geórgia
Futebol

Vítima de racismo, brasileiro deixa de ir ao mercado na Geórgia

Jorge aprova cinco substituições em retorno ao futebol
Futebol

Jorge aprova cinco substituições em retorno ao futebol