Consertar defesa é um dos desafios do Santa Cruz

Os números mostram a fragilidade da zaga, que é a terceira mais vazada e sofreu 15 gols nos sete últimos jogos

Marcelo Martelotte orienta jogadores do Santa Cruz durante treinoMarcelo Martelotte orienta jogadores do Santa Cruz durante treino - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O sistema defensivo anda desestabilizado e é o maior calo do Santa Cruz no Campeonato Brasileiro da Série B. Os números mostram a fragilidade da zaga, que é a terceira mais vazada e sofreu 15 gols nos sete últimos jogos. Ou seja, uma média de 2,14 gols por partida.

LEIA TAMBÉM
Sequência do Santa Cruz definirá caminhos na Série B
O drama da vida de Raniel ex-Santa Cruz e atual Cruzeiro

Dos males, o maior é que a última vez que a defesa não teve o bloqueio furado em um confronto foi há mais de um mês, no dia 18 de julho, contra o Vila Nova/GO, coincidentemente no último triunfo da Cobra Coral. De lá pra cá, são sete jogos sem vencer, com seis derrotas consecutivas.

As estatísticas jogam fortemente contra a retaguarda tricolor. Em 22 jogos disputados até aqui, 31 tentos acabaram sendo tomados. A instabilidade ao longo dos embates maltrata a defensiva, que só não viu as redes serem balançadas em quatro partidas do Brasileiro - Internacional/RS (8ª rodada), Brasil de Pelotas/RS (12ª), Náutico (14ª) e Vila Nova/GO (1ª).

Na Série B, cinco zagueiros formaram cinco duplas diferentes. As parcerias que mais atuaram foram Bruno Silva e Jaime, com dez aparições. O segundo deles, inclusive, já deixou o Arruda no dia 10 de agosto, enquanto o primeiro jogou oito vezes com Anderson Salles, artilheiro do time na temporada, com oito gols marcados. Nas últimas duas partidas, a zaga foi formada por Sandro, que chegou ao Tricolor há mais de dois meses, e Salles. Eduardo Brito, jovem da base, disputou outros dois jogos, sendo apenas um como titular.

Tapar o buraco da zaga é uma das tarefas de Marcelo Martelotte. Virou prioridade. Dar consistência ao sistema defensivo pode ser a saída para colocar o Santa no eixo. Há mais de uma semana no Arruda, o técnico promoveu muitos testes na equipe, mas não mudou os zagueiros. Sendo assim, Anderson Salles e Sandro devem continuar lado a lado pelo terceiro jogo seguido, contra o ABC/RN, no próximo sábado (9), na Arena das Dunas, pela 23ª rodada.

No ano passado, a defesa foi o grande problema na elite do futebol. Terminou o Brasileiro como a mais vazada, levando 69 gols em 38 rodadas. Nesta temporada, o setor segue frágil e sem passar segurança.

Veja também

Chelsea anuncia Thomas Tuchel como novo técnico
INGLATERRA

Chelsea anuncia Thomas Tuchel como novo técnico

Com hepta de Amandinha, Brasil domina premiação do futsal mundial
Futsal

Com hepta de Amandinha, Brasil domina premiação do futsal mundial