Conversa franca para definir os escolhidos

Tite deve apostar contra a Argentina nos mesmo jogadores que colocaram a Amarelinha na liderança das eliminatórias

Jaboatão dos Guararapes deu início, nesta quarta-feira (28), às consultas pré-operatórias das primeiras 14 crianças que serão beneficiadas com a medidaJaboatão dos Guararapes deu início, nesta quarta-feira (28), às consultas pré-operatórias das primeiras 14 crianças que serão beneficiadas com a medida - Foto: Chico Bezerra/PJG

AFP - Poucas horas depois de desembarcar em Belo Horizonte, Neymar participou ontem do seu primeiro treinamento com a Seleção Brasileira antes do clássico de amanhã contra a Argentina, no qual Tite deve apostar nos mesmos jogadores que colocaram a Amarelinha na liderança das eliminatórias. O craque de 24 anos chegou à capital mineira no seu jatinho particular e aproveitou para dar carona para dois companheiros de Barcelona que se tornarão seus adversários no Mineirão, Mascherano e Lionel Messi, um dos assuntos comentados, ontem, durante entrevista coletiva. Outro reforço de peso será o lateral Marcelo, que perdeu os últimos dois jogos por lesão e deve recuperar sua vaga, no lugar de Filipe Luís
“Ney” não jogou a última partida, contra a Venezuela (vitória por 2x0), por cumprir suspensão depois do acúmulo de cartões amarelos, mas volta com tudo para encarar os Hermanos no palco do 7x1. No treino realizado no Mineirão, Tite não fez mistério, definindo uma equipe titular sem surpresas: Alisson; Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Marcelo; Fernandinho, Paulinho e Renato Augusto; Philippe Coutinho, Neymar e Gabriel Jesus.
Marquinhos terá a dura tarefa de marcar Lionel Messi e sabe que precisará de atenção redobrada para marcar o craque do Barça. “Sua qualidade é diferente, na minha opinião, é o melhor jogador da atualidade. Por isso temos que fazer uma partida perfeita. Se cometer um erro mínimo, ele pode driblar, caçar a bola ou fazer um gol”, alertou o zagueiro do Paris Saint-Germain, que também terá pela frente seu companheiro de clube Angel Di Maria.
“Messi está marcando época. É um jogador difícil de ser comparado. Ele é único e tem um dom que faz dele um jogador quase perfeito”, elogiou por sua vez o lateral-direito Daniel Alves, da Juventus, que atuou ao lado do camisa 10 no clube catalão. “Sua grandeza é que ele não se acha tão grande, é isso que o faz diferente dos demais”, completou o jogador de 33 anos, que será capitão contra a Argentina, seguindo o rodízio implantado por Tite.
Além de usar a braçadeira, Daniel Alves trocará a camisa 2 pelo 4, em homenagem a Carlos Alberto Torres, eterno capitão do tri de 1970, falecido no final do mês passado, que ocupava a mesma posição e tinha esse número no uniforme.

Veja também

Com classificação do Internacional, Libertadores define times das oitavas; confira
Futebol

Com classificação do Internacional, Libertadores define times das oitavas; confira

Com classificação à vista, desafio do Santa é não deixar rendimento cair
Santa Cruz

Com classificação à vista, desafio do Santa é não deixar rendimento cair