A-A+

Coreia do Sul vence Jogos Asiáticos e livra Son do Exército

Time coreano bateu o Japão na prorrogação por 2x1, e Son poderá voltar a defender o Tottenham sem precisar se alistar

Son foi campeão dos Jogos Asiáticos com a CoreiaSon foi campeão dos Jogos Asiáticos com a Coreia - Foto: Benjamin Cremel/AFP

O atacante Son está livre do serviço militar na Coreia do Sul. Na última tentativa de escapar do alistamento obrigatório, o jogador do Tottenham foi campeão neste sábado (1) dos Jogos Asiáticos, com a seleção sul-coreana. A equipe venceu o Japão, na prorrogação, por 2x1, e ficou com a medalha de ouro.

O drama de Son durou até a prorrogação. Quando o relógio marcava três minutos do tempo adicional, o jogador do Tottenham recebeu dentro da área, limpou dois jogadores e viu o companheiro Lee Seung-Woo chegar batendo para estufar as redes japonesas.

Son também participou do segundo gol da Coreia do Sul. Ele sofreu a falta pelo lado esquerdo. Após a cobrança, Hwang Hee-Chan subiu mais que a defesa e cabeceou para balançar as redes.

O Japão descontou faltando cinco minutos para o final da partida. Após cobrança de escanteio, Ayase Ueda cabeceou para fazer o primeiro da equipe japonesa.

Os Jogos Asiáticos eram a última chance de Son se livrar do serviço militar.

Na Coreia do Sul, o alistamento é obrigatório para homens até 28 anos. A única exceção é caso um atleta conquiste uma glória esportiva: a medalha de ouro dos Jogos Asiáticos ou uma medalha qualquer nos Jogos Olímpicos.

Com a vitória nos Jogos Asiáticos, tanto Son como todos os outros jogadores do elenco da Coreia do Sul estão livres da obrigatoriedade do serviço militar.

O atacante, agora, deve voltar para o Tottenham e seguir sua vida normal no futebol.

Veja também

Quase 300 mil novos candidatos se inscreveram no Enem com gratuidade, diz Inep
ENEM

Quase 300 mil novos candidatos se inscreveram no Enem com gratuidade, diz Inep

Eliminatórias: Brasil e Uruguai terá público na Arena da Amazônia
Futebol

Eliminatórias: Brasil e Uruguai terá público na Arena da Amazônia